sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

PSICOGRAFIA GAY!!!!

Olá 

Não sou fã de livros psicografados, porém, esta semana ganhei de natal um livro que me tocou muito.

PSICOGRAFIA GAY!!!!! 

ACHEI MUITO INTERESSANTE,COM CONTEÚDO E DE FÁCIL LEITURA!
UM BOM ROMANCE PARA QUEM GOSTA.VALE A PENA!!!!

ABAIXO SEGUE O RELEASE DO LIVRO


Título: Uma outra história de amor
Autora: Flavio Lopes, pelo espírito Emanuel
Número de páginas: 254
Formato: 16 x 23 cm
Preço: R$ 29
ISBN: 978-85-7722-169-1

O rebelde e ansioso Yuri é o protagonista do romance Uma outra história de amor, lançado pela Editora Vida & Consciência. Seu tempo na terra é curto: por conta da imaturidade, o jovem sofre um grave acidente de carro, colocando sua vida em risco e causando grande sofrimento a todos à sua volta. Vem a falecer poucas horas depois, deixando a família e seu grande amor, Marcelo, desamparados.

A tragédia, porém, é só o começo deste envolvente romance escrito por Flavio Lopes e ditado por seu mentor espiritual Emanuel. Ao deixar o plano terrestre, Yuri ganha a chance de recomeçar. Na colônia astral Santa Rita, é orientado pela avó Lucinda e pelo sábio guia Ariovaldo, aprendendo a controlar a ansiedade e abandonar a rebeldia. Yuri entende, também, que sua orientação sexual nada mais é do que a forma por ele escolhida para evoluir. Essa sensibilidade desenvolvida pelo jovem, agora mais equilibrado e sábio, vão ajudá-lo a aconselhar seus pais e Marcelo, incentivando-os a se libertarem dos preconceitos e seguirem uma vida alegre, sem que se sintam culpados pela sua morte.

Uma outra história de amor é uma delicada trama que mostra ao leitor como fazer a vida valer a pena com atitudes simples, porém significativas. A obra fala sobre rebeldia, negação e superação, e destaca que sempre existe uma segunda chance para se aprender valores fundamentais e evoluir, seja no plano terreno, seja no plano espiritual. 

Sobre o autor – Flavio Lopes nasceu em Triunfo, Rio Grande do Sul, em 1972. A sua mediunidade despontou aos 21 anos, quando começou a intuir suas primeiras poesias. Aos 33 anos, teve o primeiro contato com a psicografia, quando, de uma forma muito sutil, o espírito Emanuel se dispôs a intuí-lo em seu romance de estreia, A vida em duas cores, publicado em 2008. 

Mais informações sobre os livros da Editora Vida & Consciência estão disponíveis no site: www.vidaeconsciencia.com.br


por VINCENZO GONZAGA

domingo, 30 de outubro de 2011

MEU NAMORADO(a) ESTÁ SEMPRE VIAJANDO! O QUE FAZER?

Muitos casais que conheço sofrem com este problema: um deles viaja muito por causa do trabalho....principalmente comissário de bordo!!!

Quem não tem um relacionamento maduro pode vir a pensar sobre ciúmes, solidão, carência.....sentimentos horríveis para quem ama.

Então... vem aquele "diabinho" e "anjinho" na sua cabeça travando uma guerra enorme.

Ah, antes que eu me esqueça, além, destes "entes sobrenaturais" tem um pior ainda: O(A) AMIGO(A) BALADEIRO(A).rsrsrsrsrs.

Portanto, são três 'entes' mexendo com sua cabeça.
O diabinho diz que ele(a) está te traindo e curtindo H-O-R-R-O-R-E-S a viagem....pegando uma baladinha, bebendo todas.

O anjinho diz que não! "fique
tranquilo" É só trabalho, concentre-se no seu trabalho!!! reveja amigos e amigas que ele(a) não gosta!

E tem o(a) amigo(a) baladeiro(a) que diz ironicamente: "VAI FICAR EM CASA COMO UMA ESPOSINHA DE ANTIGAMENTE....TE ARRUMA E VAMOS PRA BALADA"!
NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO.....não vá à balada sem seu amor!!!!!!

Não provoque brigas desnecessárias no retorno.
Você já se colocou no lugar dele(a)? Que ele(a) pode estar pensando a mesma coisa de você?

Eu passo por isso, pois meu marido viaja muito e durante estas viagens procuro reunir amigos e amigas na minha casa; faço jantares; POKER(AMO); a única coisa que poderia ser considerada de solteiro que faço é ir à Benedito Calixto(SP) que está perto de minha casa

Neste local revejo amigos que não frequentam minha casa....batemos papo, rimos e volto para casa tranquilo.....e é óóóóóbvio que falo para meu esposo na mesma hora, por mensagem onde estou, pois sempre tem aquele "ESPÍRITO DE PORCO" que não gosta de ver ninguém feliz e logo avisa seu amado(a) onde você está! Exemplo: "olha, vi seu marido na calixto com um monte de homens"....coisa de bichinha ou sapinha invejosa.

O(a) amigo(a) baladeiro(a) se te "encher o saco" para sair usando de argumentos rídiculos...tome cuidado, pois, COM CERTEZA, não é um(a) amigo(a).

Quase todos os meus amigos são baladeiros de plantão e todos respeitam meu estilo de vida, ou seja, REALMENTE SÃO MEUS AMIGOS.

Amo quando estou sozinho e eles aparecem aqui antes da balada para fazer uma "esquenta"...bebem todas, tomam banho, colocam o "uniforme " de baladeiro e vão embora.

Eu alugo um filme de terror, faço um pote enorme de pipoca e vou dormir....ás vezes pinto um quadro ou faço alguma comida que ele nao gosta só pra mim, ATUALIZO O BLOG(que fazia tempos que não atualizava)...aaaaa, ia esquecendo: uma vez me disseram que isso era deprimente....ficar em casa sozinho.

Deprimente é esperar a pessoa que você ama viajar para você sair e aprontar(leia-se trair) todas na balada. E quando seu amor chega de viagem você finge que nada aconteceu....isso eu acho que é deprimente...pessoas que não valem um ovo podre fazem isso.....acho O FIIIIIIIIM da picada!!!!!

QUER VIDA DE SOLTEIRO?...SEJA SOLTEIRO!!!!....QUER VIDA DE NAMORADO(A) OU CASADO(O)? HONRE ESSA VIDA!!!!! POIS, AFINAL FOI VOCÊ QUEM ESCOLHEU ESTAR SOLTEIRO OU NÃO!!!!

Entretanto, quem tem um relacionamento aberto.....isso é outra história para outro "post"!!!

Peço desculpas aos leitores que me mandaram e-mails pedindo o retorno do blog, porém, faz quase um ano que tive problemas familiares e não tinha cabeça para escrever. Mas fiquem tranquilo que atualizarei sempre o blog.

Aproveito para mandar um beijo enorme para o MARCOS FREITAS do blog "PASSAGEIRO DO MUNDO" e para o PEDRO PITANGA da amada rádio "OMEGA HITZ".....AMBOS MUITO QUERIDOS POR MIM e que sinto saudades das conversas no msn!!!!

por VINCENZO GONZAGA

domingo, 16 de outubro de 2011

CONSELHOS PARA UM BOM RELACIONAMENTO


POR RUBEM ALVES:

Depois de muito meditar sobre o assunto concluí que os casamentos são de dois tipos: há os casamentos do tipo tênis e há os casamentos do tipo frescobol. Os casamentos do tipo tênis são uma fonte de raiva e ressentimentos e terminam sempre mal. Os casamentos do tipo frescobol são uma fonte de alegria e têm a chance de ter vida longa.

Explico-me. Para começar, uma afirmação de Nietzsche, com a qual concordo inteiramente. Dizia ele: “Ao pensar sobre a possibilidade do casamento cada um deveria se fazer a seguinte pergunta: “Você crê que seria capaz de conversar com prazer com esta pessoa até a sua velhice?” Tudo o mais no casamento é transitório, mas as relações que desafiam o tempo são aquelas construídas sobre a arte de conversar.”

Xerazade sabia disso. Sabia que os casamentos baseados nos prazeres da cama são sempre decapitados pela manhã, terminam em separação, pois os prazeres do sexo se esgotam rapidamente, terminam na morte, como no filme “O império dos sentidos”. Por isso, quando o sexo já estava morto na cama, e o amor não mais se podia dizer através dele, ela o ressuscitava pela magia da palavra: começava uma longa conversa, conversa sem fim, que deveria durar mil e uma noites. O sultão se calava e escutava as suas palavras como se fossem música. A música dos sons ou da palavra – é a sexualidade sob a forma da eternidade: é o amor que ressuscita sempre, depois de morrer. Há os carinhos que se fazem com o corpo e há os carinhos que se fazem com as palavras. E contrariamente ao que pensam os amantes inexperientes, fazer carinho com as palavras não é ficar repetindo o tempo todo: “Eu te amo, eu te amo…” Barthes advertia: “Passada a primeira confissão, “eu te amo” não quer dizer mais nada.” É na conversa que o nosso verdadeiro corpo se mostra, não em sua nudez anatômica, mas em sua nudez poética. Recordo a sabedoria de Adélia Prado: “Erótica é a alma.”

O tênis é um jogo feroz. O seu objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: o outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O bom jogador é aquele que tem a exata noção do ponto fraco do seu adversário, e é justamente para aí que ele vai dirigir a sua cortada – palavra muito sugestiva, que indica o seu objetivo sádico, que é o de cortar, interromper, derrotar. O prazer do tênis se encontra, portanto, justamente no momento em que o jogo não pode mais continuar porque o adversário foi colocado fora de jogo. Termina sempre com a alegria de um e a tristeza de outro.

O frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que, para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la. Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado. Aqui ou os dois ganham ou ninguém ganha. E ninguém fica feliz quando o outro erra – pois o que se deseja é que ninguém erre. O erro de um, no frescobol, é como ejaculação precoce: um acidente lamentável que não deveria ter acontecido, pois o gostoso mesmo é aquele ir e vir, ir e vir, ir e vir… E o que errou pede desculpas; e o que provocou o erro se sente culpado. Mas não tem importância: começa-se de novo este delicioso jogo em que ninguém marca pontos…

A bola: são as nossas fantasias, irrealidades, sonhos sob a forma de palavras. Conversar é ficar batendo sonho pra lá, sonho pra cá…

Mas há casais que jogam com os sonhos como se jogassem tênis. Ficam à espera do momento certo para a cortada. Tênis é assim: recebe-se o sonho do outro para destruí-lo, arrebentá-lo, como bolha de sabão… O que se busca é ter razão e o que se ganha é o distanciamento. Aqui, quem ganha sempre perde.

Já no frescobol é diferente: o sonho do outro é um brinquedo que deve ser preservado, pois se sabe que, se é sonho, é coisa delicada, do coração. O bom ouvinte é aquele que, ao falar, abre espaços para que as bolhas de sabão do outro voem livres. Bola vai, bola vem – cresce o amor… Ninguém ganha para que os dois ganhem. E se deseja então que o outro viva sempre, eternamente, para que o jogo nunca tenha fim…"


REFLITAM!!!!

BEIJOS

VINCENZO GONZAGA



sexta-feira, 6 de maio de 2011

ACORDEM E CASEM


FINALMENTE O STF RECONHECEU QUE SOMOS PESSOAS NORMAIS!
E AGORA?
IREMOS ENCONTRAR OUTRA COISA PARA RECLAMAR OU PEGAREMOS NOSSOS MARIDOS E ESPOSAS E VAMOS AO CARTÓRIO MAIS PRÓXIMO RECONHECER A UNIÃO ESTÁVEL?????

ACORDEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEM
APROVEITEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEM

SOMENTE NOSSAS ATITUDES É QUE FARÃO VALER ESSA DECISÃO!!!

MEDINHO DA MAMÃE E PAPAI?
MEDINHO DOS AMIGOS HÉTEROS?

NÃO PRECISA COLOCAR UM VESTIDO IGUAL A PRINCESA KATE E CONVIDAR 1900 PESSOAS....É NECESSÁRIO SOMENTE O PAR E AS TESTEMUNHAS....É UMA GARANTIA DE NOSSOS DIREITOS!!!!

TODOS PENSAM EM BENS, PENSÃO, HERANÇA...MAS PENSEM EM OUTRA COISA: se seu esposo(a)sofre um acidente e é hospitalizado quem irá cuidar dele(a) é a família e se eles nao gostarem de você....FUUUUUUUUUUU......SEM RECONHECER A UNIÃO VOCÊ NÃO TEM COMO CUIDAR DE SEU AMOR E NEM SEQUER VISITAR. FORA QUE A FAMÍLIA PODE COLOCAR VOCÊ PARA FORA DE SEU LAR SE O BEM NÃO ESTIVER EM SEU NOME!!!

VOCÊS IRÃO ESPERAR ACONTECER ALGO ASSIM OU SERÃO INTELIGENTES E REALISTAS E IRÃO SE PRECAVER??

FICA AÍ A DICA!


BEIJOS A TODOS COM MUITAS SAUDADES DOS LEITORES E BLOGUEIROS


VINCENZO GONZAGA

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010

LIVRO: "POR QUE TODA MULHER PRECISA DE UM GAY EM SUA VIDA"


Logo após iniciar este blog a escritora Andrea Franco entrou em contato comigo para que eu desse minha opinião sobre o assunto em pauta.


Foi quase um ano trocando e-mails até que finalmente a maravilhosa Andrea publicou esta obra.


VALE A PENA LER!!!!


RELEASE:


Livro explica os benefícios da amizade entre os gays e as mulheres
Autora afirma que toda mulher precisa de um gay em sua vida
Livro
Os gays possuem algumas características que toda mulher gostaria de ter num homem ao lado dela: companheirismo, alto astral, sensibilidade, sinceridade, entre outras. As mulheres sabem que o amigo gay é excelente companhia para ir a baladas, fazer compras, jantar em restaurante japonês, olhar vitrines e até frequentar o mesmo cabeleireiro.
Essa relação já foi tema em muitos seriados como Desperate Housewives, Sex and the City e também aparece em filmes como O casamento do meu melhor amigo estrelado pela atriz americana Julia Roberts, ou no recém-lançado O Direito de Amar, dirigido por Tom Ford. A jornalista Andrea Franco explora essa temática no seu novo livro “Por que toda mulher precisa de um gay em sua vida” – lançamento da Matrix Editora.
A autora explica que ter um amigo gay está na moda, é chique e fashion. Ela diz que a questão não é amar de paixão os gays e sim amar gente de bem. “Eu vou amar se ele for honesto, íntegro. E tenho amigos assim, que por acaso são homossexuais. Eles geralmente são pessoas descoladas, de bem com a vida e ótimos para oferecer um ombro amigo.” – afirma Andrea.
Assim como os homossexuais sofrem preconceitos e lutam diariamente para conquistar seu espaço na sociedade, as mulheres enfrentam problemas semelhantes, esse é um dos motivos que mais os aproximam.
A obra mostra histórias dessa relação e depoimentos que provam os benefícios dessa amizade, para ambos os lados, e reafirmam que os gays são realmente mais sensíveis e compreendem melhor os desejos e angústias da alma feminina.

Sobre a autora
A jornalista Andrea Franco é pós-graduada em Jornalismo Internacional pela Universidade Estácio de Sá e já produziu textos para importantes veículos de comunicação do Brasil, além de atuar como assessora de imprensa. Também é autora do livro 40, sim! E daí?, igualmente publicado pela Matrix editora, e atualmente escreve no site Plena Mulher.



por VINCENZO GONZAGA

ps- ANDREA, PARABÉNS PELO LIVRO. DESEJO TODO O SUCESSO DO MUNDO PARA VOCÊ!!!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

terça-feira, 25 de maio de 2010

A ARTE DE DIVIDIR O MESMO TETO

Oi pessoal.
Dois meses de casado e o saldo é positivo.
Cada dia que passa nos tornamos mais cúmplices um do outro e mais companheiros que nunca.
No entanto, isso se deve ao fato de que dialogamos muito. Não é D.R. não...é diálogo mesmo!!!
Morar com outra pessoa, tanto como marido, tanto como amigo(a) não é tão fácil assim...cada um tem sua mania, hábito....
Se há algo que incomoda deve-se sempre, mas sempre, falar a verdade...educadamente e no momento certo!
Trate seu marido ou esposa como se fossem seus amigos. Acredito que essa é a melhor forma de conviver na mesma casa.
Há pessoas que acreditam que por serem marido ou esposa a pessoa terá que agüentar tudo, pois existe amor...MITO!!!!
Antes de tudo, somos todos seres com defeitos e qualidades e temos que ter paciência e respeito com o próximo, não importa o grau de intimidade.
Resumindo....EDUCAÇÃO E PACIÊNCIA É A MELHOR FORMA DE TER PESSOAS MARAVILHOSAS AO SEU LADO SEMPRE!!!!

AMO

LEIAM TAMBÉM WWW.ARRASOUNOMODELITO.BLOGSPOT.COM


Por VINCENZO GONZAGA

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

MEU CASAMENTO


AMADOS LEITORES

PASSEI MUITO TEMPO SEM POSTAR NADA.

ACONTECE QUE ALÉM DE MINHA EMPRESA DE ROUPAS FEMININAS ESTOU NOS PREPARATIVOS DE MEU CASAMENTO.

SIM SIM, VINCENZO GONZAGA IRÁ CASAR.

ESTABELECI RESIDÊNCIA EM SÃO PAULO E HOJE A CONSIDERA MINHA TERRA NATAL, MINHA TERRA AMADA E AQUI QUERO VIVER E SER ENTERRADO.

AGRADEÇO A HOSPITALIDADE DOS PAULISTAS E PAULISTANOS. ME AJUDARAM NO COMEÇO, ME ENSINARAM COMO VIVER AQUI E HOJE ENCONTREI O AMOR DA MINHA VIDA.

LOGO VOLTAREI A POSTAR SEMANALMENTE COMO OUTRORA, NO ENTANTO, PRIMEIRO CUIDAREI DE MINHA CASA E DE MEU MARIDO.

NÃO ME ABANDONEM.

AMO CADA UM DE VOCÊS...CADA MENSAGEM, CADA CONSELHO, CADA ELOGIO E CADA AMIGO QUE GANHEI ATRAVÉS DO BLOG.

OBRIGADO SÃO PAULOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!

VOLTO EM BREVE!!!!

COM AMOR



VINCENZO GONZAGA

terça-feira, 17 de novembro de 2009

VOCÊ GOSTA DE SER ESPANCADO?

Se você gosta de apanhar de "badboy" ou ser humilhado por todos sem ter Direito a defender-se então nem leia o que exponho abaixo...agora, se você quer ter o mínimo de Direito que um cidadão homossexual merece leia, entre no site do senado e VOTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!!!!!!
ABSURDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

No site do Senado estão fazendo uma enquete pra saber se você é favorável à aprovação do projeto de lei que torna crime o preconceito contra homossexuais, a homofobia.

Havia empate até ontem e agora o "não" está na frente. Precisamos do "sim", que é o que eu espero de vocês. Vamos votar e repassar aos amigos para reverter esse quadro !

Os fundamentalistas religiosos são tão organizados que conseguem mais votos que a gente. Vamos votar !

Nesta página à direita em ENQUETE, abaixo de "Agência Multimídia".

http://www.senado.gov.br/agencia/default.aspx?mob=0

PS- largue o orkut e o facebook por TRINTA SEGUNDOS e vote!
Não espere acontecer algo horrível com você para começar a lutar pelos nossos Direitos!!!

GRANDE BEIJO

VINCENZO GONZAGA

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

QUANDO O EX RESOLVE APARECER




Entre vinhos e queijo (muito vinho e muito queijo) um grande amigo pediu-me um conselho.
Este amigo está amando novamente(com um homem maravilhoso) após ter sido massacrado emocionalmente por seu ex-namorado. Este, que chamo de “criatura abominável”, resolve reaparecer se lamentando sobre as atitudes do passado implorando para que reatem o namoro...mais um caso clássico de gay que não presta!!!
Eis que veio a pergunta: “amigo Vincenzo, o que faço?”. Dãããããã
Infelizmente, a legislação brasileira penaliza o crime de homicídio de 06 a 20 anos de prisão, então, como gosto do meu amigo, decidi não aconselhá-lo a matar seu ex.
Brincadeiras a parte, matar é muito pesado, mas que o rapaz merecia uns bons tapas....ah merecia, pois, afinal, meu amigo foi um namorado exemplar e seu ex transou com Curitiba inteira enquanto eles namoravam.
Claro que, como faz pouco tempo entre o fim do antigo namoro e o novo, ainda ficam alguns resquícios da antiga paixão, porém, o que este meu amigo deve fazer é escolher entre um antigo amor (que não vale um ovo podre) ou um novo amor (que o trata como um rei).
Difícil a resposta?
Como não estou na mesma situação que a dele fica fácil de responder: óbvio que o novo amor!Entretanto, quem vive isso sofre muito.
Mesmo com toda a dor da traição, a paixão demora algum tempo para sumir e isso pode trazer uma certa confusão entre o certo e o errado.
No caso do meu amigo, seu ex realmente não vale nada e não merece a mínima atenção, nem se quer uma chance de se explicar, pois ele o “chifrou” descaradamente com muitos, mas muito homens.
No entanto, há casos em que o relacionamento “esfria” e alguma das partes cai na tentação e acaba traindo. Acredito que nesses casos deve haver uma conversa e quem sabe uma nova chance. (deixo esse tema para outro “post”).
Existem pessoas que acabam deixando o relacionamento cair na rotina e não notam....somente notam quando o namorado já está nos braços de outro homem.
Então, meu caro amigo, lembre-se que, assim como existe o termo “mulher de malandro”, existe o termo “gay de malandro” e você com certeza não é um!!!
Esqueça seu ex!!!
Ignore-o totalmente!!!
Dê uma nova chance ao seu coração, reconstrua sua vida e seus sentimentos com esse novo homem!!!
Dê uma chance a você mesmo!!!
por VINCENZO GONZAGA

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Desde que iniciei o blog venho tentando mostrar que a vida homossexual é tão igual quanto a dos heterossexuais, pois realmente acredito nisso.
Pensando...lembrei de um episódio ocorrido em meu primeiro casamento. Era nossa primeira noite de Natal. Combinamos em vermos nossos pais e depois das 20 horas iríamos para nossa casa para fazermos nossa ceia e passarmos essa noite especial juntos.
Entretanto, recebo um telefonema dele avisando que chegaria muito tarde em casa, pois sua mãe havia implorado para que ele ficasse junto à “família”, afinal Natal deve ser passado junto a seus parentes.
Respondi que tudo bem, mas aquilo foi uma agressão ao nosso relacionamento. Morávamos juntos, tínhamos nosso apartamento e eu considerava, ao menos até o telefonema de minha sogra, que eu e ele éramos uma família.
Com a frase “tenho que ficar com minha família” notei que ele não levava a sério o nosso relacionamento quanto a formação de uma família, bem como não levava a sério sua própria sexualidade.
Nossos bisavós casaram e deixaram seus pais. Nossos avós, nossos pais...todos os heterossexuais que iniciam um relacionamento sério deixam a família em segundo plano para construir a sua PRÓPRIA família.
Então pergunto: Por não termos Direitos relativos ao casamento e adoção devemos tratar nossos namorados e namoradas, maridos e “maridas” como um “caso”?
Se meu irmão não deixa sua esposa em casa sozinha para dormir na casa de meus pais, porque eu tenho que fazer isso quando estou com alguém? Será que se eu namorasse ou fosse casado com uma mulher ninguém argumentaria?
Nunca escutei um amigo ou amiga heterossexual dizendo que: “estou sozinho(a) pois ele(a) foi dormir na casa dos pais”. Porém, amigos e amigas homossexuais...QUASE TODOS!!!
Sei que isso não acontece por maldade...há muitos motivos que fazem com que pessoas tenham esta atitude...pressão da família, medo, preconceito, falta de respeito por parte dos pais e irmãos quanto a homossexualidade e etc.
Faz algumas semanas viajei com meu namorado e recebo uma mensagem em meu celular. Era de minha mãe com a seguinte frase: “meu filho amado. Tenha uma ótima lua-de-mel! Te amo. Sua mãe”.
Ri muito, não são todos que tem uma mãe sem preconceitos... mas nem sempre ela foi assim.
Como sou o caçula, sempre fui apegado a minha mãe e ela a mim!
Por muitas vezes recebia suas ligações e entre lamentações e saudosismos nunca deixei um namorado ou marido dormir sozinho pelo fato de que minha mãe estava carente ou com saudade.
Dizia a ela: marque um almoço, um café, venha me visitar...
Certa vez ela insistiu para que fosse sozinho passar o fim de semana com ela. Irritado com sua insistência perguntei: “ Mãe, largue meu pai sozinho esse fim de semana e venha dormir em minha casa. Eu meu marido te receberemos de braços abertos”.
Ela começou a rir e disse: meu filho você está certo, assim como nunca deixei seu pai, você não deve deixar seu marido sozinho.
Fui criado em colégios rigorosos, educação rígida, educado para ser uma marido dedicado a minha esposa e a meus filhos...cresci....algumas “coisinhas” mudaram no meio do caminho...continuo com a mesma educação, porém ao invés de esposas tive maridos e os tratei da mesma forma que me foi ensinado desde criança: com carinho, respeito, companheirismo, educação assim como meus antepassados foram criados.
“amigo especial” ou amiga especial” é falta de respeito com seu amado(a) e com você mesmo.
Títulos como namorado(a) e esposo(a) são tão normais para os heterossexuais e devem ser tão normais para nós também.
Seus pais um dia irão morrer e quando você olhar para trás verá que eles tiveram uma família e você por medo não teve!
A vida gay é muito mais que uma “The Week” de sábado ou um “Bar Vermonth” de domingo.
Permita-se ser gay ou lésbica fora de uma balada! Permita-se ser gay ou lésbica dentro de sua família....permita-se ser gay ou lésbica e CONSTRUIR A SUA FAMÍLIA!!!

por VINCENZO GONZAGA

sexta-feira, 17 de julho de 2009

PRECONCEITO NADA!!!! O BOM É AMAR!


No último feriado aqui em São Paulo fui descansar com alguns amigos (todos gays e lésbicas) numa pousada no campo.
Como são pessoas que estou conhecendo agora e sou hiper, mega, ultra curioso sobre como as pessoas saem do armário perguntei a cada um como foi esse procedimento.
Claro que não narrarei todos os depoimentos, pois são muitos, mas colocarei aqui o que mais me chamou a atenção.
Geralmente falo sobre os gays e raramente sobre lésbicas, mas hoje dedico este post a um casal de garotas que conheci na viagem e que conquistaram minha amizade no primeiro sorriso e no primeiro cigarro.
Ambas tiveram um passado heterossexual e bem movimentado pelo que me foi narrado.
Conheceram-se na faculdade e entre trabalhos e provas foi nascendo uma grande amizade de duas garotas heterossexuais...ao menos naquela época acreditava-se nisso!
Baladas, bebida, gatinhos até que um dia uma delas sentiu vontade de beijar a outra e confessou, porém somente recebia risadas como se fosse apenas um pedido de brincadeira.
Foram meses de tentativa. A garota que queria beijar falava e falava e nadaaaaaaaaaa.
Até que um dia em uma simples viagem o beijo aconteceu.... e teve a duração de OITO horas...assadura na boca para que, não?!hehe
Uma delas noivou com o namorado e aos poucos a distância física entre elas foi crescendo, no entanto a paixão crescia avassaladoramente.
A garota, que por tempos rejeitou o beijo, confusa e apaixonada foi embora do Brasil sem despedir-se afim de fugir dessa paixão que dominava seu coração.
Por tempos, tentou esquecer sua amada...tudo em vão...um dia soube que sua amiga ia casar...enlouqueceu, chorou, gritou...ia perder o amor de sua vida....para um homem!
MSN, e-mails apaixonados e a volta repentina para o Brasil.
Entre “trancos e barrancos” foram deixando de lado todos os preconceitos incutidos e finalmente assumiram o relacionamento.Hoje vivem feliz, apaixonadas, um amor forte que em um simples olhar nota-se o tamanho deste sentimento entre elas.
Eu poderia ficar horas e horas contando toda a história delas, também não sei ao certo se consegui em minhas humildes palavras descrever um amor tão intenso. Entretanto o que na verdade quero dizer é que nós homossexuais temos muito preconceito com outros homossexuais que estão em fase de transição (da falsa heterossexualidade para a homossexualidade).
Escutei inúmeras vezes pessoas aconselhando amigos a deixarem de lado uma paixão porque o outro(a) havia se assumido faz pouco tempo ou não se aceitava completamente.
Paciência, respeito e companheirismo é o segredo de todo relacionamento duradouro.
Se você estiver “ficando” ou namorando alguém que ainda tenha preconceito tenha paciência...não force a barra!!! Converse, assistam filmes com temática gay (românticos no começo). Mostre que somos iguais a todos...
Nem sempre é fácil assumir-se...cada um tem o tempo adequado para entender que somos tão normais quanto os heterossexuais.
A Paixão não tem barreiras, fronteiras ou preconceitos...não fique pedindo conselhos a seus amigos ou amigas...não fique perdendo sono tentando saber se dará ou não dará certo...apenas AME E DEIXE-SE SER AMADO.
PERMITA-SE!!!

Dedico este post para duas grandes garotas que conhceci: P. e V.


por VINCENZO GONZAGA

quinta-feira, 28 de maio de 2009

QUANDO DIZEMOS NÃO AO AMOR!



São tantas pessoas que escuto dizendo que querem amar que às vezes fico preocupado com tanta carência no mundo.
No entanto, há vezes que o “gay encantado” finalmente aparece...mas para o cara errado!
Meu grande amigo Eduardo é um gay “Don Juan”. Com seu jeito meigo e educado sempre conquistou a todos os homens que desejou e após cada conquista os descartava sem dó nem piedade.
Isso era prazeroso para ele...quem sabe uma auto-afirmação...quem sabe medo...quem sabe?
Por muitas vezes tive a oportunidade de acompanhar suas conquistas e confesso: realmente era de dar dó dos homens que caiam na teia de Eduardo.
Dizia que no lugar de seu coração existia um cubo de gelo e que por isso nunca havia sentido pena de nenhuma de suas “vítimas”.... dizia que amor e paixão era feito para os fracos!
Outra coisa que dizia é que não havia homem no mundo que conseguisse segurá-lo num relacionamento.
...o universo conspira....Conseguiram derreter o cubo de gelo.
Estávamos na Bubu quando um homem lindo o segurou pelo braço e disse: quero você!
Foi um pouco assustador, pois o garoto tinha cara de brabo e segurou com muita força o braço de Eduardo.
Pensei que ia rolar algum stress, no entanto, os dois se beijaram fervorosamente...trocaram telefone...
Por algumas vezes o garoto dormiu na casa de Eduardo...conheceu a família de Eduardo.
Eduardo, mesmo negando, estava apaixonadíssimo pelo rapaz.
Mesmo encontrando o garoto nunca deixou de sair na balada, nem de ficar com outros homens, entretanto, no final de cada noite eu via em seu olhar uma certa tristeza...tristeza de que seu amor não estava ali com ele.
Quando Eduardo estava quase assumindo que estava pela primeira apaixonado na vida....ele surtou. Tornou-se ansioso, mau-humorado e ciumento
Em desespero consigo tomou uma decisão: através de mensagem de celular ele disse ao garoto que eram muito diferentes e não deveriam mais se encontrar.
Meus amigos ficaram pasmos com a reação de Eduardo. Eu não fiquei!!!!
Homens assim como Eduardo nunca se casam, raramente namoram e quando o fazem...traem ou são ciumentos.
Todos criticam Eduardo...o chamam de frio, calculista, que não é legal brincar com o coração das pessoas....mas o que fazer? Essa é a natureza dele...DON JUAN!!!
O garoto sumiu...Eduardo continua firme e forte em suas conquistas...mas sabem...ainda vejo uma ponta de tristeza nos olhos dele no fim da balada.
O amor não é feito para todos...antes do garoto, Eduardo estava sempre feliz e agora....tornou-se um simples mortal...tem um coração!!!

por VINCENZO GONZAGA

NEM TODOS SÃO CAPAZES DE AMAR!!!

terça-feira, 21 de abril de 2009

OLHARES SE CRUZAM E NADA DE BEIJO: TIMIDEZ OU ANTIPATIA


Por muitas vezes, quando vou para balada, fico notando que as pessoas se olham com interesse, querem beijar...porém nada acontece.
O que está havendo?
Quando fui pela primeira vez em um lugar gay vi muitos casais se beijarem. Como eu estava casado na época eu beijava somente meu ex, mas meus amigos sempre beijavam alguém.
Depois de 12 anos assumido vejo meus amigos (tanto os que conheci na época, quanto os novos amigos) em busca de alguém nas baladas...querem casar...ter uma namoro estável...quem sabe uma família, mas infelizmente saem sozinhos e muitas vezes tristes.
Passam a noite inteira “encarando” outros homens...os olhares são recíprocos, no entanto ninguém toma a iniciativa!
Ontem fui conhecer uma balada aqui em São Paulo com meu colega de apartamento e prestei atenção nos demais gays que se olhavam. Confesso que ri muito, principalmente por dois gays que se olharam quase a noite inteira e naaaaaaaaaada de beijo. Eu mesmo estava agoniado com a situação.
Um ia ao banheiro...o outro ia atrás...um ia comprar cerveja ...o outro ia atrás e comprava uma cerveja também...se olhavam, sorriam, dançavam olhando um para o outro...pareciam um casal de pavões gays mostrando suas penas bonitas antes de “cruzarem”.
Ao final da noite, um dos pavões chamou o outro e pediu o telefone...disse que tinha que ir embora e ficou interessado nele. O outro pavão disse que também ficou interessado e ditou o número de seu telefone e foram embora...separados.
Por um lado achei bonitinho este tipo de “cortejo”, mas sendo prático e realista: bem que um beijinho poderia ter acontecido neste momento final.
Enquanto eu acompanhava este ritual de pavões notei que um rapaz também me olhava, porém eu estava mais interessado em saber o desfecho do tímido casal e não dei atenção ao rapaz que me olhava.
Este deve ter acreditado que eu sou o homem mais antipático do mundo, pois eu olhava rapidamente e desviava o olhar. Além de minha extrema timidez, eu estava curioso para saber o desfecho do casal do pavões.
Usando meu perfil como exemplo para este tema posso dizer que sou chamado muitas vezes de antipático, arrogante e que fico fazendo “carão”, porém quem me conhece sabe que quando o assunto é beijar pela primeira vez eu sou extremamente, mas EXTREMAMENTE tímido. Já perdi de conhecer muitos homens interessantes por este meu defeito, mas fazer o que, pensei quem um dia eu iria mudar...mas não...continuo tímido quando se trata em conhecer outro homem.
Sempre preferi bares a baladas, pois, além desta minha timidez, eu não sei dançar. Ontem mesmo arrisquei mover um pouco meus pés e um infeliz rapaz vem em minha direção e pergunta se estou bem, pois pelo meu jeito de dançar ele achou que eu estava bêbado!!! Eu tenho a nítida noção que sou um péssimo dançarino, entretanto acho que ontem eu deveria estar horrível mesmo, pois nunca haviam comentado nada. Educadamente agradeci o interesse do rapaz em saber sobre meu estado, expliquei a ele que não sabia dançar e encostei-me no balcão do bar até o fim da noite, local de onde eu nunca deveria ter me afastado.
Acho que depois dessa não danço nunca mais e voltarei a freqüentar os bares que tanto amo.
Então pergunto: TÍMIDO OU ANTIPÁTICO?
Quando tiverem interesse em alguém vá até ele e tente conversar (desde que não você não seja tímido como eu). Seus amigos podem ficar dizendo que o rapaz que você está interessado é antipático, mas ele pode ser apenas tímido, assim como eu!

por VINCENZO GONZAGA

segunda-feira, 6 de abril de 2009

HOMENS MADUROS COM HOMENS JOVENS: QUEM DISSE QUE ESTA RELAÇÃO NÃO PODE DAR CERTO?



Muitas vezes quando um homem maduro é visto junto a um jovem rapaz algumas pessoas os discriminam.
Isso acontece devido a influência heterossexual que por muito tempo afirmou que uma mulher madura ao se relacionar com um homem mais jovem seria “trocada” por uma mulher mais jovem; que o jovem somente estava interessado e outras coisas mais...
No caso dos homens sempre foi dita aquela velha história de que a mulher jovem somente se interessa pelo dinheiro dos homens mais velhos.
Preconceito ignorante e sem fundamento, foi, aos poucos, sendo inserido na comunidade gay e hoje este tipo de relacionamento não é bem visto por alguns.
Na Grécia antiga, onde a homossexualidade era vista de forma habitual, relacionar-se com um homem maduro era um privilégio para os jovens.
Acreditava-se que manter relações com homens maduros era um forma de trazer aos jovens sabedoria, cultura e respeito perante a sociedade grega.
Muitos jovens pensam que passar dos 40 anos é como estar fazendo uma carteirinha para entrar no asilo e que nesta idade os homens possuem barriga, muitas rugas e etc.
Lamento muito por este pensamento, pois cabe aqui lembrar que alguns dos homens mais bonitos do mundo já passaram desta idade, como Brad Pitt que hoje está com seus 45 anos e Keanu Reeves que está com seus 44 anos.
Porém, também há o “outro lado da moeda” que é o preconceito dos maduros com os jovens.
Existem homens maduros que afirmam que jovens não possuem cultura, somente pensam no culto ao corpo sem se preocupar com o intelecto.
Também lamento por quem pensa assim, pois conheço muitos jovens de 20 anos que possuem muito mais cultura e sabedoria que homens de 50 e 60 anos.
Certa vez, em uma reunião de amigos, um deles que está na casa dos “enta” (quarENTA, cinquENTA...) me apresentou seu novo namorado de 18 anos.
Fiquei surpreso no momento, pois este amigo sempre teve preferência por homens acima dos quarenta, porém o jovem rapaz, ao contrário do que certos maduros pensam, além de lindo, dominava 5 idiomas, havia conhecido mais 20 países e já havia lido muitos mais livros do que todos que estavam ali reunidos.
Então pergunto: que preconceito sem fundamento é este? Pessoas são pessoas em qualquer idade. Nunca se pode generalizar um grupo de pessoas por ser jovem ou maduro!!!
Pensem em tudo isso escrito acima!
Quem sabe você está sozinho ou infeliz com seu namorado, por que nunca se permitiu experimentar outros tipos de relacionamentos, ou melhor, outros tipos de homens...teens ou maduros!!!

por VINCENZO GONZAGA

quarta-feira, 25 de março de 2009

É POSSÍVEL ENCONTRAR O HOMEM IDEAL PELA INTERNET?


Desde que a internet foi inserida em nossas vidas, o número de pessoas que usam os chats com finalidade de encontrar um namorado aumentou assustadoramente.
A falta de conversação que há em bares e danceterias faz com que seja necessário o uso da internet para haver um diálogo.
Hoje em dia a troca de número de telefone está sendo substituída pela troca de e-mail.
Existem muitas críticas à respeito desta mudança baseadas no fato do que conhecer alguém pela internet não é de confiança e pode ser que cruze em seu caminho alguém que não tenha boa intenção.
Conhecer alguem é como investir na bolsa de valores, se você tomar certos cuidados sempre acaba lucrando.
Estes cuidados são os mesmos que temos que ter quando conhecemos alguém num bar...nunca levar para casa no primeiro encontro, colher o máximo de informações sobre a pessoa e sempre avisar um amigo sobre onde irá encontrar a pessoa(de preferência em lugares públicos, até sentir confiança).
Conheço muitos casais felizes que iniciaram o relacionamento pela internet. De ínicio tomaram tomos os cuidados necessários e depois foram se abrindo.
Não há nada de errado em sair com uma pessoa que você conheceu pela internet. Aquele homem que se apresentou um dia como “
fulano@desconhecido.com” pode ser futuramente o seu grande amor.

por VINCENZO GONZAGA

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

SOLTEIROS FELIZES, CASADOS INFELIZES


Metade da laranja, alma gêmea, tampa da panela, chinelo velho para um pé cansado...é necessário encontrar um amor para ser feliz?
Por milênios a sociedade impregnou no ser humano que para ser uma pessoa completa e feliz era necessário ser casado(a) ou ser amado por outro(a).
No final do século passado, com a revolução feminina e a regulamentação do divórcio teve início a era dos solteiros e felizes.
Grande parte do meu rol de “pessoas interessantes” é formado por homens e mulheres que optaram por uma vida de solteiro(a) e afirmo com todas as letras: são muito mais felizes que os casados que conheço.
Estão sempre com um ótimo humor, são livres, aproveitam a vida viajando, dedicando-se ao trabalho, reunindo amigos...
Vejo tanta gente reclamando que não tem ninguém, mas quando encontram tornam-se pessoas chatas, não saem mais de casa (jantar-filme, jantar-filme, jantar-filme), a conversa se resume a problemas no relacionamento ou planos de futuro...aquela vida de restaurantes, viagens, livros, cultura, tudo vai para o espaço por causa do relacionamento.
Há exceções, é claro, mesmo sendo raros e em extinção, ainda existem casais que se divertem e VIVEM A VIDA, porém ao perguntar para eles como conseguem manter a vida alegre responderam que se fosse para ficarem trancados em casa num sábado a noite vendo “Zorra Total” preferiam estar solteiros.
Ter uma vida de solteiro não quer dizer que a pessoa seja promíscua ou que viva em baladas, mas sim quer dizer que há pessoas que “se curtem”, que gostam de chegar em casa e ter um pouco de silêncio.
Eu faço parte dessa classe de solteiros felizes. Não vivo em baladas e tampouco sou promíscuo. Como trabalho por conta própria, não tenho horários, nem rotina. Posso dormir as 4 da tarde como posso dormir as 4 da madrugada e sempre que estive com alguém essa minha “falta de rotina” foi um problema.
Vejo meus amigos e minha família quando tenho saudade. Trabalho como um louco na frente do computador. Quando estou estressado reuno as pessoas amadas e vou ao teatro, bares, restaurantes, viajo. O mais importante de tudo é que tenho liberdade em fazer minhas próprias escolhas sem ter que consultar alguém ou ter que escutar cobranças de atenção.
Acho que se minha vida fosse casa-trabalho, trabalho-casa quem sabe eu sentiria falta de um relacionamento, mas amo o estilo de vida que tenho, sempre corrido, sem ter tempo para respirar, no entanto extremamente feliz e realizado.
É obvio que um dia posso voltar a vida de casado, mas com certeza terá que ser com uma pessoa que goste da mesma palavra que eu gosto: LIBERDADE. Não estou falando em relacionamento aberto, ou algo parecido (não divido namorado meu com ninguém), falo de poder andar com minhas próprias pernas, sem “muletas” e “sem algemas”, sem cobranças.
Em suma, se você se acha infeliz por estar solteiro, comece a procurar mais seus amigos...leia mais...vá ao teatro ou ao cinema sozinho ou com amigos...desfrute de sua casa...desfrute de sua vida...desfrute de você mesmo.


Ninguém trará a felicidade para a sua vida! Só você pode trazê-la!!!

por VINCENZO GONZAGA

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

DIVIDIR APARTAMENTO COM HÉTEROS OU COM GAYS? QUAL A MELHOR OPÇÃO?


Ontem, um grande amigo gay fez a seguinte pergunta:


― Vincenzo, estou querendo dividir apartamento com alguém. Devo morar com um hetero ou com um gay? Qual a melhor opção?

Iniciamos um debate sobre os prós e contras. Relembramos histórias minhas e de outras pessoas que moraram com gays e outros que moraram com heteros e no final chegamos a coclusão de que há problemas nos dois casos, porém bem distintos um do outro.

Quando se divide apartamento com outro gay ou lésbica, a convivência pode ter seus problemas normais (som alto, festinhas inconvenientes, louça suja... o mesmo que se pode ter com heteros) porém nunca irão sofrer preconceito dentro de casa, ― poderão levar outros amigos gays ou namorados sem ver olhares de reprovação e preconceito.
Quando se divide apartamento com um hetero pode ser que ele não tenha nenhum preconceito, mas sempre terá um amigo ou amiga que não gosta de homossexuais e você terá que engolir aquela presença preconceituosa, pois afinal você divide o mesmo ambiente e ambos tem o direito de levar quem quiser.

Já morei três vezes com heterossexuais e duas vezes com outros gays. Posso afirmar que das três vezes que morei com heteros, somente uma vez foi agradável, ou melhor foi ótimo, pois a garota com que eu morava era um amor de pessoa e nunca admitiu que ninguém preconceituoso entrasse em nosso apartamente.
No entanto, as outras vezes foram horríveis e passei por maus momentos. Certa vez me pediram para não falar sobre os homens bonitos que passavam na televisão pois se sentiam desconfortáveis com a situação!!! E o pior é que este pedido veio com a seguinte observação: “Não temos nada contra gays, só não gostamos de ver um homem falando que outro homem é bonito”!!! Eu somente tinha comentado que o apresentador do programa que estávamos vendo era muito bonito e só!

Depois desta observação fui embora para outro apartamento, também com heterossexuais. Antes de fechar o contrato contei o que havia acontecido no outro apartamento e me garantiram que eles não tinham problema algum com gays. Inocente, eu acreditei!

Tudo estava bem, até que comecei a namorar. Quando apresentei meu namorado escutei a seguinte frase: “adoramos seu namorado, pois ele nem parece gay”! Engoli a seco a frase, fiquei calado e deixei o barco correr.

Uma semana depois meu namorado voltou ao apartamento. Todos foram agradáveis até o momento em que ele foi embora. Como dois namorados normais nos despedimos através de um “selinho”. Bastou este simples “selinho” para mais uma vez eu ser alvo de preconceito. Me falaram que não tinham problema algum com gays, somente não gostaram de termos dado um “selinho” pois eles estavam com outros amigos ali e seus amigos não se sentiram bem ao ver dois homens dando um “selinho”.

“Delicadamente” mandei todos tomarem “naquele lugar” e, a partir disto, decidi morar somente com gays ou lésbicas.
Não digo que morar com outros gays ou lésbicas é perfeito. Morar com outra pessoa é complicado, não importa a sexualidade ― faxina, organização, festas...tudo deve ser argumentado e combinado ― entretanto o que não admito é chegar em casa e ter que esconder minha orientação sexual por causa de pessoas preconceituosas.

Já basta o que passamos nas ruas onde podemos ser alvo de chacotas, surras e até a morte por um simples “selinho gay”.

por VINCENZO GONZAGA

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

RECOMENDAÇÃO DE LEITURA.


Esta semana, o escritor Warley Matias de Souza (foto) ― ganhador do prêmio João-de-barro 2008 ― presenteou-me com um exemplar de seu novo livro BENJAMIM & NICOLAU.
Leio muitos livros com temática homossexual, porém inúmeros passam desapercebidos pela minha cabeça por serem chatos e monótonos.
Alguns são tão chatos que acabo nem lembrando o título.
No entanto, este último livro de Warley Matias está MARAVILHOSO ― Bem redigido, personagens bem estruturados fazendo com que seja leitura gostosa.
Para quem gosta de romance gay recomendo este livro. VALE A PENA MEEEEEESMO!!!!
Sinopse:
“Na cidade de Santa Joana D'Arc, nascem Benjamin e Nicolau. É nessa cidade que eles vivem a infância e o início da adolescência. E é lá que descobrem um sentimento forte e natural; mas que causará problemas. Nicolau casa-se ainda na adolescência e torna-se pai de José. Mas a sua bissexualidade transforma seu casamento em um grande transtorno. Sua esposa, Joana, é uma alcoólatra. E seu filho é uma criança atormentada por pesadelos. Tudo se complica quando vem à tona o romance secreto entre Benjamin e Nicolau, culminando no fim do casamento; mas também no afastamento entre pai e filho. A vida é feita de escolhas. E, para cada uma delas, há que se pagar um preço.
Quem quiser adquirir um exemplar é só acessar: http://www.protexto.com.br/livro.php?livro=206

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

LÉSBICAS NO PODER


Recentemente A “LESPOWER” Johanna Sigurdardottir assumiu o cargo de chefe de governo sendo a primeira lésbica a assumir este posto na Islândia.


Com notícias assim é que vejo que o mundo está se tornando um lugar melhor para nós homossexuais vivermos.


Até 1995 ― somente 14 anos atrás ― a homossexualidade fazia parte do Código Internacional como portadores de transtornos sexuais e hoje estamos nos mais importantes cargos do mundo.

bom...o mundo está mudando...uma lésbica no governo da Islândia, um negro como Presidente dos EUA...o príncipe indiano saindo do closet...por isso que ainda acredito que o ser humano pode mudar para melhor e deixar preconceitos rídiculos de lado!!!
Só falta o Brasil mudar!




por VINCENZO GONZAGA

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

SOROPOSITIVOS: O QUE DIZER QUANDO A PESSOA QUE VOCÊ GOSTA DIZ QUE É HIV POSITIVO? E COMO CONTAR PARA A PESSOA QUE VOCÊ GOSTA QUE VOCÊ É HIV POSITIVO?

Nunca comentei sobre a AIDS aqui no blog, porém, esta semana, um internauta me contou sua história e então decidi escrever um pouco sobre o relato.

Ele se relacionou por dois meses com outro rapaz e com o passar do tempo os sentimentos vieram até nascer uma relação bonita e com indicações de que teriam um futuro juntos.

No entanto, em uma noite em que estavam sozinhos, o rapaz contou ao internauta que era soropositivo.
Pelo que me foi relatado esta revelação veio como uma bomba na relação dos dois e, consequentemente, os afastou .
Confesso que por muito tempo tive preconceito contra pessoas soropositivas. Eu nunca havia conhecido ninguém portador do vírus, então somente sabia o que lia e escutava, ou seja, coisas horríveis e isso me assustava.
Nunca vivenciei uma situação igual ao do internauta, porém já levei alguns sustos com conhecidos que eu nunca imaginaria que eram soropositivos.
Claro que, como sou extremamente curioso, sempre perguntei como eles viviam ― em detalhes ― e aos poucos fui deixando o meu preconceito ignorante de lado.
A partir do momento que fiz amizade com soropositivos parei de pensar sobre o que eu e outras pessoas que não tem este vírus pensam e comecei a pensar no que os soropositivos pensam.
Fico muito indignado e bravo quando falam dos soropositivos como se fossem pessoas más, promíscuas e desmerecedoras de respeito.
Todos que conheço e que tem este vírus o contraíram de forma ingênua e infantil e bastou apenas UMA transa para isto acontecer.
Imaginem como deve ser difícil para um soropositivo contar a pessoa amada sobre o assunto. Medo de perder, medo de ser julgado de forma equivocada...
Quando alguém que você está se relacionando lhe conta a verdade não seja egoísta e saia correndo, ou faça julgamentos precipitados! Escute! Converse! E, depois de tudo, se você notar que não tem estrutura para manter uma relação com um soropositivo, termine a relação mas não é necessário haver um afastamento.
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS ABRAÇANDO UM SOROPOSITIVO!
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS CONVERSANDO COM UM SOROPOSITIVO!
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS DANÇANDO COM UM SOROPOSITIVO!
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS TENDO UM AMIGO SOROPOSITIVO!
Não quero dizer que soropositivos são merecedores de pena, mas sim de respeito!!!
Isso pode acontecer com todos nós. Sabemos que quem faz sexo sem preservativo está exposto ao vírus, porém a medicina nunca deixou muito claro sobre a possibilidade de contrair HIV/AIDS através do beijo e sexo oral, portanto, mesmo com todos os cuidados ainda assim podemos ser vítimas deste vírus.
Então, antes de julgar um soropositivo como promíscuo ou um ser maligno, pense nas palavras que coloquei acima.
Muitos conhecidos de baladas que vinham ― com um sorriso sarcástico ― me contar sobre algum soropositivo hoje são portadores e recebem os mesmos sorrisos que outrora distribuiam maudosamente mundo a fora.
Ainda não tenho opinião formada sobre se eu teria ou não um relacionamento com um soropositivo. E você?
Deixo abaixo algumas perguntas. Se não quiserem responder aqui no blog, ok! Mas respondam para si mesmos:
1) QUAL A REAÇÃO QUE VOCÊ TERIA AO ESCUTAR DA PESSOA AMADA: “SOU SOROPOSITIVO”?
2) E SE VOCÊ FOSSE SOROPOSITIVO? COMO REVELARIA ESTE FATO A PESSOA AMADA?

por VINCENZO GONZAGA

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

EFEMINADOS: ODIADOS POR UNS, ADORADOS POR OUTROS.


Desde criança sempre escutei os heterossexuais falarem dos homens efeminados como nojentos, “ui que horror”, “um surra resolvia”, “bichona”, “viado” e etc.
Quando saí do closet continuei escutando a mesma coisa mas dessa vez dentro da comunidade gay.
O QUE TEM DE ERRADO EM SER EFEMINADO??? Não entendo este preconceito rídiculo!!!
O gay efeminado nada mais é que o extremo da orientação sexual homossexual, assim como o “bad boy” é o extremo da orientação sexual heterossexual.
Ser gay demais, ou ser machão demais é parte da personalidade de cada um e desde que seja uma pessoa honesta e correta não há problema algum nisso.
Há muitos gays “machões” que não valem um ovo podre, mas por não possuirem trejeitos femininos se vangloriam como sendo parte da nata dos homossexuais. Absurdo isso, pois para que os “bad gays” saibam, os mais brilhantes gays do mundo eram ou são efeminados, como por exemplo: Truman Capote, Elton John, Rei Muanga II de Uganda e etc.
Falando a verdade, há muitos gays que gostam de gays bem efeminados, no entanto não tem coragem de admitir esta preferência por medo de represálias dos amigos.
Certa época eu estava interessado em um rapaz. Quando finalmente tive a chance de falar com ele levei delicadamente um “fora”. Ele me disse que eu não o atraia pois nao tinha jeito de gay, que eu “parecia um heterossexual”!!!Fiquei muito triste, pois além de inteligente ele era lindo de morrer. Tudo bem...mas dizer que não ter trejeitos femininos é fato exclusivo de heterossexuais é ignorância, pois conheço muitos heterossexuais que são mais femininos que suas namoradas e afirmo com todas as letras que realmente são heterossexuais.
Assim como eu nasci gay sem trejeitos femininos, tenho amigos que desde criança já eram efeminados, ou seja, assim como nascemos gays, nascemos gays efeminados ou não.
Vangloriar-se por andar como “machão”, falar com voz grossa, ou por “parecer um heteressexual” é falta de sabedoria.




O CARÁTER ESTÁ DENTRO DE NÓS, NÃO FORA!!!





por VINCENZO GONZAGA

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

APELIDOS CARINHOSOS E/OU RÍDICULOS QUE GANHAMOS DOS NAMORADOS E NAMORADAS


Nunca gostei de receber apelidos, mas é quase impossível não ganhar um “apelidinho” num relacionamento.
Já fui chamado de coisas normais como “neném”, “bebe”, “amorzinho” e mais alguns, porém todos dentro da normalidade romântica.
No entanto, a criatividade amorosa pode ultrapassar a barreira do que é normal e do que é ridículo.

Tudo começa com um simples “neném”, “cheiro”, amor, mas para alguns a normalidade não é o bastante e então vêm os apelidos anormais.

Os mais absurdos e incompreensíveis que já escutei casais se chamando foram:

“UZIFOFO” (parece tipo de amaciante);

"AZINENE" (neném não basta?);
“PÃOZINHO DE TRIGO"( como assim pãozinho de trigo? É para ser comido pela manhã?);

“VAMPIRINHO” (prefiro não comentar!!!);

“CHELO” (tentativa de falar cheiro, mas a pessoa deveria ter algum problema como o personagem Cebolinha);

“ZATATA” (este escutei de duas amigas. Deve alguma inversão de “sapata” ou algo assim);

“CAPOSINHO DE FUSCA” (eram mulheres e...dá para imaginar o porque!!!);

“BATATINHA” (?????????, come-se raramente para não engordar?);

“LITTLE PAPI” (unir dois idiomas através do romantismo é o ápice);

É importante lembrar que todos estes “maravilhosos” apelidos vem sempre acompanhado de uma imitação de voz de criança!!!
Há, também, aqueles apelidos inconvenientes que o(a) namorado(a) acredita que ao chamar o(a) outro(a) assim está sendo ultra-mega-blaster romântico, mas na verdade está assinando a sua própria sentença de morte. Exemplos:

“GORDO(a)” (você se mata na academia e vem o seu namoradinho querido apertar o pouco de gordura que você ainda tem e para piorar ainda te chama de gordo, com a voz de neném é claro!!!);

“CAREQUINHA” (a pessoa já se mata usando chapéu, shampoo anti-queda e milhares de alternativas para tentar fazer o cabelo crescer e daí vem o namoradinho e o chama de “carequinha”!!!!!!!!!!!!!!!!);
“MAMICUDA” ( a guria sonha em fazer uma diminuição das mamas e vem sua namoradinha lhe chamar de mamicuda?????? E é claro, com a voz de neném e sorriso no rosto!!!);

Assim, pense mil vezes antes de dar um apelido para a sua cara-metade, pois você pode receber, além de alguns tapas, apelidinhos que você também poderá não gostar!

por VINCENZO GONZAGA

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

TELHADO DE QUALIDADE É IMPORTANTE!!!


Sabem...estão falando tanto em “telhados” que lembrei de um provérbio: “NÃO ATIRE PEDRA NO TELHADO DO VIZINHO SE O SEU É DE VIDRO”, literalmente!!!!

As vezes é melhor gastar com reformas em telhados do que em manifestações contra a homossexualidade!

O dinheiro usado na manifestação ocorrida em Brasília contra o PL 122/06 dava para fazer um telhado de ótima qualidade.

Podem achar que não tenho coração por estar dando esta alfinetada, mas é que se o telhado de uma boate gay tivesse caído “certas pessoas” iriam estar dizendo que foi obra de Deus!!!


por VINCENZO GONZAGA

sábado, 17 de janeiro de 2009

QUAL A MELHOR OPÇÃO PARA ENCONTRAR UM(A) NAMORADO(A)? FICAR EM CASA E ESPERAR APARECER? OU SAIR A NOITE TODOS OS FINAIS DE SEMANA?


Não tenho uma opinião formada sobre isto, pois afinal há casos e casos.
...um(a) acaba namorando com alguém que conheceu num sábado pela noite, outro(a) com alguém que conheceu numa fila de banco e assim por diante.
Cada um cria em sua cabeça um certo “mito” para encontrar alguém. Mas, na verdade, não há um padrão para achar um(a) namorado(a).
Sempre escutei o mito de que “quando não se quer alguém é justamente quando se encontra” e blá bláblá. Nunca acreditei nisto até uns anos atrás.
Quando eu ainda morava na Espanha eu não queria ninguém, pois logo retornaria ao Brasil. Sempre apareciam homens interessantes querendo me namorar mas eu saia correndo...até que um dia, bateram na minha porta (literalmente) e minha amiga de apartamento pediu que eu abrisse, pois era um amigo de faculdade dela que estava trazendo uns livros...resumindo: um tempo depois eu e o tal “amigo de faculdade dela” casamos. Realmente este negócio de “o amor bater na porta” aconteceu para mim!!!

Meu primeiro namorado conheci num supermercado próximo a minha casa. Eu estava fazendo compras com minha tia e ela foi pedir informação a um funcionário. Após dada a informação, minha tia virou as costas e o funcionário sorriu para mim. Resumindo, também: no outro dia voltei ao supermercado para comprar algo e ele sorridente demais me disse oi e blá blá blá...ficamos juntos por cinco anos!
Vários amigos meus namoram “caras” que conheceram na noite e são muito felizes.
Não há como impor uma regra sobre onde encontrar o par ideal. O que importa mesmo é como está sua cabeça. Se você estiver bem consigo, com certeza apareceram várias oportunidades de encontrar alguém.
Cuide de si em primeiro lugar...mas sempre dando uma olhadinha para os lados, pois a pessoa ideal pode estar mais perto do que você imagina!!!


por VINCENZO GONZAGA

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

“PSICOPATAS” QUE CRUZAM NOSSO CAMINHO: ATÉ ONDE VAI A CARÊNCIA AMOROSA?



Quem já escutou um amigo(a) reclamando de um garoto(a) que não pára de telefonar? Quem já passou por isso?
Quem não passou: sorte a sua, pois, as vezes, esse tipo de pessoa extrapola todos os limites da educação e do bom senso e tem atitudes completamente fora do comum.
Para escrever aqui no blog sempre uso exemplos de amigos, depoimentos que recebo pela internet ou pesquisas que faço em sites de relacionamento, mas neste caso eu posso ser o exemplo, pois como meus amigos dizem: eu sou um ímã de “psicopatas”.
Não posso afirmar certamente se são psicopatas mesmo (não sou psiquiatra), mas com certeza algumas atitudes destas pessoas podem ser comparadas com este tipo de doença.
Meu primeiro “psicopata” apareceu quando eu ainda estava com meu primeiro namorado. Simplesmente o ser doentio me viu numa balada, conseguiu meu telefone (não sei como) e me ligou por dias e dias querendo marcar um encontro. Imaginem minha situação: a criatura ligando dia e noite e meu ex-namorado de cara de feia sem entender direito o que estava acontecendo.
Fiquei com um certo medo, mas decidi me encontrar com ele e resolver a situação, sendo que ele já havia descoberto o telefone de minha mãe e conversado com ela.
Bom...após um tempo conversando num lugar público (óbvio) vi que se tratava de um cara completamente carente e desequilibrado . Para me salvar da situação, disse a ele que eu estava com câncer em estado terminal....e ele acreditou!! Não tenho e nunca tive câncer, foi uma desculpa ridícula, eu sei, mas eu era muito jovem e foi a primeira coisa que me passou pela cabeça. Mas deu resultado: Ele nunca mais apareceu!!!
O segundo psicopata chorou após o nosso primeiro beijo...(só foi um beijo mesmo). Imaginem a minha cara vendo ele chorar e dizendo em voz alta que me amava...e o pior é que foi na frente de todos num bar. Confesso que tive vontade de me tacar da janela do bar de tanta vergonha. Fazia 20 minutos que eu o havia conhecido e ele disse chorando que me amava.
Fui embora escondido e no outro dia recebi 37 ligações dele num espaço de 4 horas. No outro fim de semana eu estava dançando com meus amigos e adivinhem quem apareceu? O PSICOPATA !!! quase que desta vez fui eu que chorei...ele grudou em mim a noite inteira dizendo que me amava...meus amigos estavam apavorados e eu não dava atenção a criatura.
Após umas horas, ele começou a dizer algumas palavras agressivas...continuei não dando atenção. Até que começou a me ameaçar, dizendo que ia descobrir onde eu morava e ia fazer um escândalo!!! Bom...sou um cara muito paciente e educado, porém nem a pessoa mais calma do mundo resiste a tanto. Então, “educadamente”, eu o peguei pelo pescoço, levei até o segurança e ele foi expulso do local. Depois disto ele me deixou em paz.
Já apareceram outros, mas hoje eu sei identificar muito bem quando vejo um.
Estas pessoas nem sempre estão interessadas sexualmente, pode ser que queiram somente amizade. Mas ser amigo de uma pessoa assim é um problemão. A pessoa te conhece a menos de um mês e te liga todos os dias para ver como você está ou para contar algo banal que aconteceu; julga todos os seus amigos dizendo quem presta ou quem não presta, dá palpites sobre sua roupa ou estilo de vida; fica chateado se você vai sair com outros amigos...tomem cuidado: está pessoa tem algum problema. Sinceramente, amizade para mim é uma coisa bem complexa e que demora um certo tempo para se concretizar.
Contando assim pode parecer engraçado, mas, além de ter vivenciado este tipo de experiência, também trabalhei por 3 anos com um juiz criminal e vi muitos casos de gays e lésbicas que estavam passando por este tipo de situação e que se viram forçados a procurar uma delegacia para terminar com este pesadelo.
Um destes processos era de uma lésbica que ficou três dias trancada no apto de uma garota que tinha conhecido num sábado a noite. Ela não sofreu nenhuma agressão física, mas a “les-louca” ameaçava se matar caso ela fosse embora.


Por isso aqui vai um conselho: tomem cuidado ao levar um desconhecido(a) para casa!

Levar uma pessoa para casa no mesmo dia em que a conheceu é a mesma coisa que brincar de roleta-russa!!!
CONHECER UMA PESSOA AOS POUCOS AINDA É A MELHOR FORMA!

por VINCENZO GONZAGA