quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Desde que iniciei o blog venho tentando mostrar que a vida homossexual é tão igual quanto a dos heterossexuais, pois realmente acredito nisso.
Pensando...lembrei de um episódio ocorrido em meu primeiro casamento. Era nossa primeira noite de Natal. Combinamos em vermos nossos pais e depois das 20 horas iríamos para nossa casa para fazermos nossa ceia e passarmos essa noite especial juntos.
Entretanto, recebo um telefonema dele avisando que chegaria muito tarde em casa, pois sua mãe havia implorado para que ele ficasse junto à “família”, afinal Natal deve ser passado junto a seus parentes.
Respondi que tudo bem, mas aquilo foi uma agressão ao nosso relacionamento. Morávamos juntos, tínhamos nosso apartamento e eu considerava, ao menos até o telefonema de minha sogra, que eu e ele éramos uma família.
Com a frase “tenho que ficar com minha família” notei que ele não levava a sério o nosso relacionamento quanto a formação de uma família, bem como não levava a sério sua própria sexualidade.
Nossos bisavós casaram e deixaram seus pais. Nossos avós, nossos pais...todos os heterossexuais que iniciam um relacionamento sério deixam a família em segundo plano para construir a sua PRÓPRIA família.
Então pergunto: Por não termos Direitos relativos ao casamento e adoção devemos tratar nossos namorados e namoradas, maridos e “maridas” como um “caso”?
Se meu irmão não deixa sua esposa em casa sozinha para dormir na casa de meus pais, porque eu tenho que fazer isso quando estou com alguém? Será que se eu namorasse ou fosse casado com uma mulher ninguém argumentaria?
Nunca escutei um amigo ou amiga heterossexual dizendo que: “estou sozinho(a) pois ele(a) foi dormir na casa dos pais”. Porém, amigos e amigas homossexuais...QUASE TODOS!!!
Sei que isso não acontece por maldade...há muitos motivos que fazem com que pessoas tenham esta atitude...pressão da família, medo, preconceito, falta de respeito por parte dos pais e irmãos quanto a homossexualidade e etc.
Faz algumas semanas viajei com meu namorado e recebo uma mensagem em meu celular. Era de minha mãe com a seguinte frase: “meu filho amado. Tenha uma ótima lua-de-mel! Te amo. Sua mãe”.
Ri muito, não são todos que tem uma mãe sem preconceitos... mas nem sempre ela foi assim.
Como sou o caçula, sempre fui apegado a minha mãe e ela a mim!
Por muitas vezes recebia suas ligações e entre lamentações e saudosismos nunca deixei um namorado ou marido dormir sozinho pelo fato de que minha mãe estava carente ou com saudade.
Dizia a ela: marque um almoço, um café, venha me visitar...
Certa vez ela insistiu para que fosse sozinho passar o fim de semana com ela. Irritado com sua insistência perguntei: “ Mãe, largue meu pai sozinho esse fim de semana e venha dormir em minha casa. Eu meu marido te receberemos de braços abertos”.
Ela começou a rir e disse: meu filho você está certo, assim como nunca deixei seu pai, você não deve deixar seu marido sozinho.
Fui criado em colégios rigorosos, educação rígida, educado para ser uma marido dedicado a minha esposa e a meus filhos...cresci....algumas “coisinhas” mudaram no meio do caminho...continuo com a mesma educação, porém ao invés de esposas tive maridos e os tratei da mesma forma que me foi ensinado desde criança: com carinho, respeito, companheirismo, educação assim como meus antepassados foram criados.
“amigo especial” ou amiga especial” é falta de respeito com seu amado(a) e com você mesmo.
Títulos como namorado(a) e esposo(a) são tão normais para os heterossexuais e devem ser tão normais para nós também.
Seus pais um dia irão morrer e quando você olhar para trás verá que eles tiveram uma família e você por medo não teve!
A vida gay é muito mais que uma “The Week” de sábado ou um “Bar Vermonth” de domingo.
Permita-se ser gay ou lésbica fora de uma balada! Permita-se ser gay ou lésbica dentro de sua família....permita-se ser gay ou lésbica e CONSTRUIR A SUA FAMÍLIA!!!

por VINCENZO GONZAGA

15 comentários:

pinguim disse...

Belíssimo e muito verdadeiro este teu texto.
Abraço.

Dama de Cinzas disse...

Como sempre, seus posts são muito bem escritos! Seu argumentos são incontestáveis! Eu agiria da mesma forma e pensaria assim. De certa forma rompi com minha família de pai, mãe e irmão por conta dos preconceitos e caretices deles... Mas conservo um relacionamento solo com minha mãe de quem gosto muito.

Acho que se tivesse na sua situação, exigiria a mesma postura do meu namorado.

Beijocas

Mabe disse...

Meu caro, parabéns.
Como sempre, seus textos são ótimos.
Infelizmente a realidade ainda não é como desejamos, mas se todos pensassem como ti, o mundo seria bem melhor.

Um grande abraço e até mais.

Abraço-te disse...

Essa mostra é muito valiosa, muito valiosa MESMO....

Agradeço-te
Assim como...

Abraço-te

vagner vargas disse...

OI VIcenzo

Não te conheço pessoalmente, mas sempre que leio algum texto seu, parece que fui eu quem os escreveu, pois, passo por situações muito semelhantes e penso da mesma forma que você.
Obrigado por seus textos.
Vagner Vargas

Walter disse...

Vincenzo parabéns, novamente vc acertou em cheio!

Chega a ser um sonho sua vida, quero dizer, como vc conquistou seu marido o amor de sua mãe, a aceitação da família e tudo mais.

Atualmente estou na faculdade e venho pensando sobre a minha aceitação e a revelação para aqueles a quem desejo ser verdadeiro e um dos fatos para eu pensar em me aceitar como sou e e revelar isso é justamente a família que quero sim formar, viver com alguém especial, ter filhos e tudo o que tenho direito, mas olhando ao meu redor não vejo nenhum exemplo e nem motivação, por vários motivos como:

Gays que só querer beijar/transar e pronto, que também vivem no 'anonimato' fora os que não tem perspectiva de vida....

Me sinto mal por isso, pois agora que to jovem posso sim querer beijar e tudo mais, mas depois?? Ficando velho e ainda caindo em boates nos fimm de semana e deitando com caras diferentes?? Poxa, cadÊ esses homens sérios, integros, ambiciosos, soonhadores, de carater???

Será que existem por aqui (Salvador/BA)???

Só tenho a te desejar parabéns por ter tudo que tem, vc deve merecer msm e conta ae onde foi que vc arranjou um homem desses?? xD~

Sucesso!

Um Lado Íntimo. disse...

Seus textos, como sempre, me tocam! COncordo plenamente com você. Nós, homossexuais, temos todo o direito de ter uma família assim como os héteros. Se é marido(a), deve-se agir como tal e não ficar como se fosse um caso ou algo passageiro.

Vamos nos permitir e viver enquanto podemos com quem amamos, afinal a vida não eterna. Infelizmente não é!

Abraços!

- Marcel.

Diego Hatake disse...

Mais verdadeiro impossível. Creio que não só homens, mas ultimamente a sociedade tem medo de qualquer compromisso. É como se criar uma família fosse algo absurdamente tenebroso, as pessoas tem medo de sentirem-se presas por isso... E esquecem que uma coisa fundamental no amor é você ceder um pouco, se entregar... Bem, isso se alguns ainda pensam em amor, alguns nem mesmo sabem direito o que é isso... Fui!

Gustavo disse...

OH MY GOOOOOD!!!

Fazia tempos que eu não passava por e CARACA!
SENSACIONAL o texto.

Falou tudo e mais um pouco.
Sempre me pego pensando comigo mesmo em ter minha própria família, é tão lindo.
Parece ingenuidade falar assim, mas sempreeeeeee penso nessas coisas!

E o mais engraçado, não adianta a gente querer mudar certas concepções nas cabeças dos outros, se algumas pessoas não percebem que nós é quem precisamos perceber certas coisas.

E vamo que vamoooo!

Anônimo disse...

Não tenho palavras pra dizer o quanto o teu blog é especial...
Parabéns...
Continuarei acompanhando..
abraço...
qualquer coisa me manda um e-mail:

playbob2008@hotmail.com

Alice disse...

Eu concordo com você, mas infelizmente a sociedade ainda não enxerga casais gays como "família". Tanto a lei quanto as religiões ainda insistem nesse conceito rígido de homem-mulher para definir um casal e não percebem que família é construída por laços de afeto, não de gênero. Ainda demora muito para mudarmos esse quadro...

André Mans disse...

Impressionante como as suas palavras diretrizam para aquilo que deveria ser cotidiano. Quem sabe um dia, será. Beijo grande.

Guy Franco disse...

As diferenças entre um relacionamento heterossexual e homossexual não são tão diferentes quanto dizem por aí, no nosso ouvido. Mas as diferenças que existem podem ser tão mais agradáveis. Ah, se tivesse nascido heterossexual. Prefiro nem pensar. Agora é tarde, já pensei.

Homossexual Conservador disse...

Amei esse texto. Adorei a naturalidade com que vc expressa a palavra marido. Como tenho vontade de ser corajoso e levar a minha família (eu e meu companheiro) para dentro da minha família (pai e irmãos). Assim eu iria me sentir muito mais feliz e seguro! Parabéns pelo blog, Vincenzo!

Homossexual Conservador disse...

Oi Walter! Não é fácil, mas continue procurando que um dia vc encontrará um cara especial. O segredo é ter paciência e acreditar!!!