quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

SOROPOSITIVOS: O QUE DIZER QUANDO A PESSOA QUE VOCÊ GOSTA DIZ QUE É HIV POSITIVO? E COMO CONTAR PARA A PESSOA QUE VOCÊ GOSTA QUE VOCÊ É HIV POSITIVO?

Nunca comentei sobre a AIDS aqui no blog, porém, esta semana, um internauta me contou sua história e então decidi escrever um pouco sobre o relato.

Ele se relacionou por dois meses com outro rapaz e com o passar do tempo os sentimentos vieram até nascer uma relação bonita e com indicações de que teriam um futuro juntos.

No entanto, em uma noite em que estavam sozinhos, o rapaz contou ao internauta que era soropositivo.
Pelo que me foi relatado esta revelação veio como uma bomba na relação dos dois e, consequentemente, os afastou .
Confesso que por muito tempo tive preconceito contra pessoas soropositivas. Eu nunca havia conhecido ninguém portador do vírus, então somente sabia o que lia e escutava, ou seja, coisas horríveis e isso me assustava.
Nunca vivenciei uma situação igual ao do internauta, porém já levei alguns sustos com conhecidos que eu nunca imaginaria que eram soropositivos.
Claro que, como sou extremamente curioso, sempre perguntei como eles viviam ― em detalhes ― e aos poucos fui deixando o meu preconceito ignorante de lado.
A partir do momento que fiz amizade com soropositivos parei de pensar sobre o que eu e outras pessoas que não tem este vírus pensam e comecei a pensar no que os soropositivos pensam.
Fico muito indignado e bravo quando falam dos soropositivos como se fossem pessoas más, promíscuas e desmerecedoras de respeito.
Todos que conheço e que tem este vírus o contraíram de forma ingênua e infantil e bastou apenas UMA transa para isto acontecer.
Imaginem como deve ser difícil para um soropositivo contar a pessoa amada sobre o assunto. Medo de perder, medo de ser julgado de forma equivocada...
Quando alguém que você está se relacionando lhe conta a verdade não seja egoísta e saia correndo, ou faça julgamentos precipitados! Escute! Converse! E, depois de tudo, se você notar que não tem estrutura para manter uma relação com um soropositivo, termine a relação mas não é necessário haver um afastamento.
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS ABRAÇANDO UM SOROPOSITIVO!
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS CONVERSANDO COM UM SOROPOSITIVO!
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS DANÇANDO COM UM SOROPOSITIVO!
NÃO SE CONTRAI O VÍRUS TENDO UM AMIGO SOROPOSITIVO!
Não quero dizer que soropositivos são merecedores de pena, mas sim de respeito!!!
Isso pode acontecer com todos nós. Sabemos que quem faz sexo sem preservativo está exposto ao vírus, porém a medicina nunca deixou muito claro sobre a possibilidade de contrair HIV/AIDS através do beijo e sexo oral, portanto, mesmo com todos os cuidados ainda assim podemos ser vítimas deste vírus.
Então, antes de julgar um soropositivo como promíscuo ou um ser maligno, pense nas palavras que coloquei acima.
Muitos conhecidos de baladas que vinham ― com um sorriso sarcástico ― me contar sobre algum soropositivo hoje são portadores e recebem os mesmos sorrisos que outrora distribuiam maudosamente mundo a fora.
Ainda não tenho opinião formada sobre se eu teria ou não um relacionamento com um soropositivo. E você?
Deixo abaixo algumas perguntas. Se não quiserem responder aqui no blog, ok! Mas respondam para si mesmos:
1) QUAL A REAÇÃO QUE VOCÊ TERIA AO ESCUTAR DA PESSOA AMADA: “SOU SOROPOSITIVO”?
2) E SE VOCÊ FOSSE SOROPOSITIVO? COMO REVELARIA ESTE FATO A PESSOA AMADA?

por VINCENZO GONZAGA

14 comentários:

Leo disse...

Acho que a reação variaria muito com o grau de intimidade com a pessoa.
Nunca passei por essa situação.
Com certeza seria algo chocante.
Não sei como lidaria com o problema. Mas certamente levarei em consideração suas palavras caso um dia isso aconteça.
abs

Alice disse...

Eu acho que não daria conta de namorar uma portadora do vírus. Eu já convivi com um soropositivo e foi muito triste quando ele faleceu, o sofrimento causado é enorme...

O Menino que Voa disse...

amigo, eu digo pra você que as trato como trato outra pessoa qualquer. Porque? Porque eu tenho, pelo menos 3 amigos que sao abertamente soropositivos e vivem a vida mais normal que muita gente que se diz "saudável". Certa vez, um amigo me ligou, chorando, querendo saber oq ue fazer porque havia descoberto que seu namorado era HIV+. E eu perguntei NO QUE aquilo mudaria o sentimento dele em relacao ao namorado. Ele disse que nada. E eu apenas completei: "voces apenas precisaram tomar certas precauções que deveriam tomar de uma forma ou de outra". E eles estão juntos desde 2002. Casados. Felizes. E meu amigo me agradece a UNICA voz de apoio que ele teve naquele momento. Quanto à convivência: acredite... eh mais fácil em in;umeros aspectos, porque, pelo menos os que conheço, tornaram-se mais respetáeis, mais amorosos e mais humanos.

Jan disse...

Honrosamente, o blog Castelo de Farsa indica o seu blog a dois selos, que minimamente, tem a função de lhe premiar pelo seu maravilhoso trabalho. Arrasouuuuuuuuuuu.
É só entrar no blog e retirar seu prêmio.

Beijus :*******

John Rômulo disse...

Eu também nunca me imaginei nessa situação!
é uma barra muito forte,mas se realmente eu amar essa pessoa eu encaro a situação e vou viver meu amor!

Vincenzo parabéns pelo post! continue assim !

bjus !


www.johnrmulo.blogspot.com

kikoriaze disse...

Eu tenho um grande amigo soropositivo que passou por uma situação idêntica. Na ocasião, eu fui o maior incentivador para que ele contasse a verdade para o namorado. Ele contou. Hoje, eles não são mais namorados: são casados! E estão muito felizes! Eu sou partidário de que a verdade tem que prevalecer sempre quando há envolvimento amoroso. HIV não é atestado de óbito e as pessoas podem e devem ser felizes!

http://kikoriaze.wordpress.com

kikoriaze disse...

Ah, só pra avisar que estou linkando vc no meu blog ;)
Grande abraço!

Manoel disse...

Sou pré-Aids e de repente, amigos começaram a morrer como borboletas - isso, rapidamente; ninguém sabia a causa. Foram, até 97, 18 ou mais. Fiquei sem referência. 3 foram meus namorados, dei sorte, o primeiro Elisa, levei um bom tempo em me submeter, só em 86. Até hoje, negativo. Confesso que no início tive medo de chegar perto, procuram-me; o medo era maior. Agora, desde 92, quando percebo, fico em cima do cara para ir buscar ajuda, você sabe, no início, todos negam, apenas 2 se negaram a me dizer qual era. Respeitei, já faleceram também. Outros cheguei a encaminhar para um centro de referência. Em 2006, tentei ser voluntário no Emílio Ribas, cheguei a ir várias vezes, mas fumo demais e a tosse constante me impediu de continuar, infelizmente.
Não namoro há um bom tempo, mas se acontecer, e a pessoa estiver se cuidando e os preservativos existem para isso mesmo, não é; creio que não haveria problemas. Sexo para mim, no momento, não é a prioridade de minha vida. Uma amizade profunda, mesmo platônica, dessa, sinto falta.
Parabéns pelo site, Vincenzo.
Favoritei, e volta e meia, estarei por aqui.
Muito obrigado.

Rodrigo disse...

Eu sempre fui bem esclarecido nesse assunto, por isso nunca tive preconceito.
Eu fiquei sabendo que casais onde um é soro positivo o outro também toma os coqueteis pois diminui a chance de contrair o virus.

Anônimo disse...

Gonza. Vc imagina amar alguém, trocar o que existe de mais lindo na face da terra, e o que até diria, mantém os alicerces desta humanidade tão confusa ainda em pé, que é o AMOR, de repente vc sabe que aquele ser humano é portador e vc olha nos olhos dele e sente ali o medo do desprezo, da solidão, do preconceito, de ficar só sem aquele outro que tanto ama. Não né, ninguém pode abandonar alguém como se fosse um ser almadiçoado, um cachorro sem dono. Onde estãos os sentimentos nobres, onde esta o amor, onde esta a união daqueles seres que um dia juraram amor, trocaram carinhos, afetos. Se nada é por acaso, é este acaso que tem que ser descoberto, vislumbrado como algo maior ainda. É lindo, é maravilhoso amar e gostar de alguém independente dele ser soro, porque jamais devemos julgar o que a pessoa fez e sim o que ela esta pretendendo fazer de sua vida daqui pra frente. Como sempre digo - a medicina esta fazendo a sua parte, a sobrevida depende de cada um. Um abração.

Gustavo disse...

Nossa, esse texto pegou até eu de surpresa, porque ainda estou pensando e pensando e pensando....

Nunca passei por isso e pelo menos até onde sei não tenho nenhum amigo ou conhecido que seja soropositivo.

Mas uma coisa aprendi com Queer as Folk... tá é QAF, é fantasia, mas foi um grande exemplo para mim, o relacionamento de Michael e Ben, achei legal pra caramba!
Nunca havia me passado pela cabeça o que ou melhor, como poderia ser para alguém ser soropositivo.

E abriu minha mente com o que vi em QAF, acredito que eu levaria um relacionamento sim para onde fosse preciso porque acredito que um sentimento é muito mais do que ser apenas soropositivo, parece que simplesmente não tenho medo do vírus, mas tento manter minha cabeça desta forma.

Bom é isso, Bejundá!

douglasfert disse...

É realmente delicado este conflito.
O mais difícil eu acho que é contar que é SOROPOSITIVO. O medo de perder alguém que você ama pode ser 10 vezes mais avassalador do que se ouvir tal revelação.
Afinal, ouvir não contagia ninguém. É claro que se você já teve relações, mesmo com o uso de camisinha, e sexo oral com esta pessoa, ficará BEM encanado por um bom tempo. Mas, se você não contraiu o vírus ou a pessoa que está contigo fora íntegra e lhe contou a verdade antes de qualquer contato sexual, se você tem dentro de você um medo superior de contágio ou conceitos enraizados sobre HIVpositivos, basta terminar a relação e pronto.
Agora, se você é soropositivo e vai começar um novo amor. Aí é que as coisas se complicam.

Não que não iras encontrar alguém que te ame mesmo e se entregue para este amo, sempre se protegendo, é claro. Inclusive, se encontrar, terá aí um relacionamento mais envolvente íntimo, sincero e puro,

Anônimo disse...

Olá… Tenho 26 anos, e há 4 anos tenho relações com homens, moro numa cidade do interior e é muito complicado ter uma vida social gay em lugares assim, mais a 3 anos conheci um rapaz numa festa aqui minha região… depois de 5 meses de namoro, eu estava completamente apaixonado e tinha certeza que ele era o homem da minha vida, com quem eu queria viver para sempre. Eu notava que ele não se entregava por completo, mas eu ignorava essa situação! Uma certa noite, ele disse que queria conversar seriamente comigo e chorando muito e sem saber como fazer, ele me disse que era Soro Positivo… Meu Mundo desabou naquele momento, eu fiquei desesperado, chorei muito, não sabia se o abraçava ou o espancava. Eu ainda não havia convivido com pessoas + até aquele momento. Foi muito dificil para mim,(Mas aceitei) eu o acompanhava até o Hospital durante seus exames, fiz todos os exames tbm (resultado negativo)… mesmo assim decidi levar em frente o namoro, pois eu o amava. Nóis ficamos juntos por mais 1 ano. Ele terminou, com medo de me contaminar! eu sofri muito, pois o amava (amo)… ele mudou de Estado, eu sei que ele me ama e por medo desse amor ele se afastou!!! tenho contato com ele até hoje, ele está bem, faz uso de medicamentos e vive Intensamente sua Vida! Hoje meu olhar sobre a pessoa com HIV é completamente diferente!!! Eu respeito e amo!!!

Anônimo disse...

ola eu sou soropositivo ha pelo menos 3anos eu descobri pois na epoca eu estva namorando um cara e eu confiava era meu segundo relacionamento serio que havia acontecido em minha vida so nao esperava que iso poderia acontecer comigo ele começou adoecer e dererpente o mundo caiu ele estava com defesas muito baixa e ficou muito doente foi muito dificio suporta o fato de saber q ha vida tinha mudado na quele istante tudo parecia que iria acaba, nossa eu tive que criar forças ,para ajudalo e esquercer de mim ,por amalo de mais. Graças DEUS ele se recuperou e ficou bem hj estamos semparado eu nao me vejo mas com outra pessoua em minha vida ele estar bem, so restou lembranças de momentos bons e vida continua.