segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

CONTAR AOS PAIS SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE É NECESSÁRIO?


Semana passada um amigo me perguntou se deveria ou não contar aos pais que era gay.
Fiquei em dúvida , pois não conheço os pais dele. O único conselho que dei é que se isso o tornaria mais feliz então deveria contar.
Como nunca tive problema algum com minha família comecei a pesquisar sobre se devemos ou não contar aos nossos pais.
Conversei com algumas pessoas na internet, com minha terapeuta e com minha mãe que é psicóloga e a conclusão que obtive é que se os pais não tiverem nenhum distúrbio psicológico com tendência ao homicídio deve-se contar sim.
Cada um sabe mais ou menos qual será a reação dos pais...alguns irão recriminar e outros irão apoiar... mas, mesmo assim, todos devemos estar preparados para a reação deles.
Uma amiga estava desesperada para contar ao seu pai que era lésbica mas tinha muito medo, já que como sua mãe havia morrido ela possuía somente o seu pai.
Em um belo dia quando os dois viajam ela pediu (nervosíssima) ao seu pai que parasse o carro no acostamento. Quando estacionou, ela contou que era lésbica e a reposta foi surpreendente. Seu pai ao escutar a revelação do “grande segredo” lhe responde: “e eu sou heterossexual!!!”. Riram muito e são grandes amigos..a relação do pai e da filha ficou muito melhor depois do acontecimento, pois ela se sentiu livre e realmente amada do jeito como ela era.
Outro amigo, há alguns anos me relatou que decidiu contar a sua mãe (professora de jardim de infância, muito calma) sobre sua homossexualidade e ela correu atrás dele com uma faca em punho, sendo que ele para salvar-se da mãe “doente” se atirou da janela do segundo andar de sua casa e nunca mais apareceu.
Uns são ótimos, outros são péssimos, mas na verdade o que importa é a nossa felicidade.
Uma internauta me contou ontem que ao relatar para sua mãe a homossexualidade, ficou em choque, pois também recebeu a mesma notícia, ou seja, sua mãe também era lésbica mas sempre teve medo de contar. Seria interessante ter uma “les-mãe” , com certeza eu iria adorar, mas estou contente com a minha mesmo...ela não tem culpa de ter nascido heterossexual...brincadeirinha!!!
Assim, como na maioria das vezes não é fácil para os homossexuais esconderem a sexualidade, também não é fácil para os pais saberem.
Por serem de uma geração mais “fechada”, eles fazem planos para nossa vida....desejam nos ver casados...com filhos.....bom emprego e etc. Quando descobrem sobre nossa sexualidade, de início acreditam que não teremos nada disso do que foi planejado por eles.
Entretanto, cabe a nós, termos muita paciência com os pais preconceituosos e aos poucos irmos mostrando que somos capazes de viver da mesma forma com que sonharam, com a única diferença de que este sonho será realizado com uma pessoa do mesmo sexo.
No fundo, o que eles querem é ter filhos e filhas felizes...que possam sentir orgulho ao dizer para os outros que puseram no mundo uma pessoa digna, honrada, batalhadora, honesta e acima de tudo feliz.
Assim como queremos aceitação, também temos que ter paciência, pois no fim de tudo o amor de pais e filhos(as) vence todas as barreiras!!!!
A felicidade está a acima de tudo!
Recomendo o filme “Juste Une Question D’amour” e abaixo postei um vídeo sobre o filme, para quem ainda não assistiu, vale a pena!!!

por VINCENZO GONZAGA

12 comentários:

pinguim disse...

Eu tive uma reação muito positiva dos meus pais, embora sabendo que lhes custou bastante saber isso; mas os laços do sangue são muito fortes e depois do choque inicial, eles, os nossos pais até nos defendem se for caso disso; claro que há casos difíceis, mas o que a experiência me diz é que há cada vez mais uma aceitação.
Abração.

Leo disse...

Meu pai sempre foi uma pessoa distante, tanto fisica como emocionalmente. No entanto, foi com lagrimas nos olhos que ele veio me perguntar se eu era gay. Antes de eu responder ele já tinha me dito que me amava e que só queria me ver feliz. Eu fiquei tão chocado que na hora nem consegui chorar. Não esperava a abordagem e me assustei. Mas fui sincero com ele. Nunca mais falamos sobre isso, mas estamos muito mais próximos.
Minha mãe não sabe. Ou melhor, não sabe da minha boca... eu sei que ela sabe. Mas não tenho vontade de contar.. não ainda. Mas acho engraçado porque tenho CERTEZA que ela tem medo do meu pai saber. E ela não sabe que ele sabe...
Acho sim que eles devem saber. Mas cada um a seu tempo.
PS.: Concordo com o que você disse de QAF. Sempre achei super pesado. Acho que se não fosse tão explícito, poderia atrair não apenas os gays e ajudar na luta contra o preconceito!

Pegante disse...

acho que cada um sabe os pais que tem.
alguns pais aceitarão sem maiores problemas, mesmo que ter um filho/a gay não seja o sonho da vida deles.
Outros podem saber, mas preferem não ter que ouvir/falar isso explicitamente. E muita gente vive feliz assim.
Acho que tem que ter respeito mútuo: os filhos tem direito de serem o que são, mas os filhos também precisam entender as limitações dos pais.
Só acho uma coisa contraproducente: fingir que é heterossexual, que tem namorado/a do sexo oposto. Isso inevitavelmente vai gerar mais rancor, já que um dia a mentira será descoberta.

AIRBORNE disse...

meus pais não gostaram muito da idéia quando eu contei, mas com o tempo eles foram entendendo e aprendendo a quebrar algumas barreiras...

por tudo que eu já passei e precisei do apoio deles e eles sempre estiveram lá nessas horas é que eu vejo o quanto vale a pena contar e estar preparado para a reação deles seja qual for, e para explicar e fazê-los entender/aceitar... afinal, o que eles sempre querem é nos ver felizes :)

Marcos Henrique de Oliveira e Folgoet disse...

Minha vida sempre esteve muito ligada à escrita. Cero dia, minha mãe com seu ar farejador acabou lendo os meus escritos. Ficamos quase duas semanas sem nos falar para por conseguinte virar minha protetora e meu céu e meu chão. Não falamos abertamente sobre a minha vida gay, mas ela me respeita e assim é com toda mãe. Como bem disse uma amiga psiquiatra, o amor sempre prevalece. Quanto ao meu pai, ele soube através do meu irmão mais novo que me fez o favor de descortinar a realidade. Tive medo. Me tranquei no banheiro pra correr de uma possível surra. Pai me mandou sair e nunca tocou no assunto. Meus pais não me aceitam, me respeitam e é aí que mora o amor e a proteção daqueles que nos amam. E quanto a contar, é ótimo, pois a cruz que carregamos desaparece.

Goiano disse...

huauhauha eu sou da teoria q diante da duvida nao conte hehehehe

gostei do blog
parabens
bjos

Goiano disse...

gostou baby?
hauuahua
bem entao vou me sentir a vontade para voltar mais vezes
bjos

Cássio L disse...

Acho que contar é algo bom, mas penso que há uma momento em que isso talvez seja mais oportuno. Por exemplo: quando se atinge uma certa estabilidade na carreira e na vida amorosa, acredito que isso proporcione também uma segurança emocional maior ao indivíduo e, então, passa-se a ter menos razões para se preocupar e temer as reações alheias (uma vez que essa é a causa maior para o medo de contar aos outros sobre a homossexualidade).

O Menino que Voa disse...

eu nao contei pros meus pais.. tenho medo, mas morro de vontade de contar e ter a mesma relacao que meu marido tem com os pais.

Willians disse...

Esse obstáculo já superei, agora tenho um novo dilema, como e quando contar aos meus filhos. Eles são crianças, moram com a mãe, mas a criança de hoje é mais esperta, e percebe as coisas. Não tenho problema quando a informação, meu medo é como eles vão encarar. Hoje tento criar neles a percepção de uma sociedade livre, com direito a escolhas e ao amor sem fronteiras, espero colher no momento certo bons frutos.

douglasfert disse...

Eu creio que seja um paço importante em nossas vidas a saída do armário para nossos pais.
Eu já passei por isto. Minha mãe não me xingou, não me expulsou de casa e nem correu atrás de mim com nenhum objeto pontiagudo, graças a DEUS.

Mas, devido a sua religiosidade, ainda não aceita o meu estilo de vida. Isto me desgasta um pouco, e consequentemente nossa relação também.
Creio que um dia ela aceitará, mas msm com todos os pesares que esta revelação me trouxe, ainda assim não me arrependo.
Esconder-se é o mesmo que concordar com uma sociedade arcaica. Get-out of the CLOSET, be your self and change the World!

Junior disse...

Eu sofri muito ao assumir minha homossexualidade, fui descriminado por toda minha família e a maior parte dos meus amigos. Mas hj depois de tudo, ganhei amigos maravilhosos, e muitos viveram o mesmo sofrimento; mas o mais importante, é que a felicidade renasce pra gente quando assumimos o que realmente somos. Meus pais ainda são bem frios comigo, mas já melhoraram bastante. Creio que eles ainda precisem de mais um tempo.