quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

MÉDICOS(AS) IGNORANTES QUE DESTRATAM GAYS E LÉSBICAS DURANTE O ATENDIMENTO


Já escutei algumas histórias de gays que foram a proctologistas e urologistas e passaram por momentos desagradáveis quando revelaram a homossexualidade.
A maioria dos relatos foram sobre médicos que ao saberem da sexualidade do paciente mudavam rapidamente de postura, ou melhor, antes da revelação eram simpáticos e tentavam fazer com que o paciente se sentisse a vontade, depois da revelação se tornaram silenciosos e rápidos no atendimento.
Mas o que me tocou esta semana foi o relato de minha amiga Mari do blog Queer Girls que ao ser atendida por uma ginecologista passou por um momento muito desagradável.
Após um período de silêncio depois de haver dito à médica que era lésbica, lhe foi pedido um exame de gravidez. Mesmo afirmando que não mantinha relações sexuais com homens e tampouco havia feito uma inseminação artificial, sua ginecologista insistiu que precisava ter certeza de que a paciente não estava grávida!
Pergunto: Qual a quantidade de maconha que a ginecologista deve ter usado naquele dia? Será que a ginecologista pensou que “lésbica” fosse o nome da paciente? Ou será que era uma “pegadinha do Faustão”?
Não tenho certeza sobre o conhecimento que a médica possui sobre biologia humana, porém, que eu saiba, as lésbicas ainda precisam de um espermatozóide para gerarem um filho.
A falta de tato dos médicos(as) com os(as) pacientes homossexuais é absurda em nosso país. Não posso afirmar que são todos que nos tratam assim, porém, os profissionais da medicina que destratam homossexuais devem ser denunciados ao Conselho Federal de Medicina ou melhor, processados por discriminação.
Mesmo que o fato possa parecer engraçado ou sem importância para alguns , não o é para quem passa por isso. E assim...temos a lei. É só procurar um bom advogado!!!
Enquanto não “botarmos a boca no trombone” (sem trocadilhos) quanto ao tratamento que nos é dado por médicos ignorantes nunca iremos ser respeitados.
Cabe a eles nos tratar com o maior respeito e simpatia. Pois antes de se considerarem semi-deuses eles devem lembrar que são PAGOS para isso e a regra mundial da relação cliente e prestador de serviços é a educação e o bom atendimento.
Parabéns aos médicos que nos tratam com o devido respeito !!!
As vezes, os cachorros são melhores tratados pelos veterinários do que nós pelos médicos!
Por VINCENZO GONZAGA

Obs – leiam a história no http://www.queergirls.blogspot.com/

25 comentários:

O Menino que Voa disse...

eu nunca passei por isso, graças a Deus... mas imagino que, com meu temperamento explosivo, eu poderia iniciar uma discussão ali mesmo, como já fiz com um que me atendeu com 3 horas de atraso... falta de respeito TAMBEM...

mas eh foda mesmo.... e a melhor forma de desarmar é dizer que percebeu: "eu percebi que o Sr. nao ficou muito à vontade com o fato de eu ser gay. Tem algum problema, Doutor?"

Eheheheh
eu sou foda!

abreijos... e boas festas!

Mari disse...

Vi,
Só o bom humor nos salva nessa hora!
Pode sacanear!! Eu não ligo!!
Sabia que vc ia mandar bem no texto. Pra variar: brilhante!!
É a mesma coisa que um procto se recusar a fazer um exame no paciente, achando que ele pode gostar! PODRE!!
As associações LGBTT pelo Brasil deveriam se preocupar em manter um cadastro de médicos gay-friendly. E a coisa é tão sútil que não dá pra processar por discirminação!!
bjão grande!!

Alice disse...

Eu li a história no Queer Girls e fiquei pasma! Eu já tinha ouvido falar de casos semelhantes no meio lésbico, mas e no meio gay? É comum vocês sofrerem discriminação por proctologistas ou urologistas?

Bubbles disse...

Welcome to Brazil!

Mari disse...

vi,
Tem presentinho pra você no blog!
bjos

O amor e etc. disse...

Nossa, como é engraçado perceber que por mais que a pessoa tenha uma formação de nível superior elas ainda conseguem ser limitadas. Eu realmente fico triste em saber que isso ainda acontece, eu nunca passei por isso e se eu passar pode ter certeza que não vou deixar barato. Ainda há médicos que usam a profissão para "tirar uma casquinha" das mulheres durante o atendimento. Com todo a certeza a lei deve ser rigida para com essas pessoas. ótimo post.

Mabe disse...

É o que eu sempre digo, sempre batendo na mesma tecla lá no meu blog, a tal da FALTA DE RESPEITO CONOSCO.

Até quando iremos deixar isso acontecer????

Como sempre um ótimo texto meu amigo.
Beijos

Tales na Web disse...

Que saco saber que tem tanta gente assim!
E justo um profissional que trabalha com sexo, eu esperaria mais de alguém assim!

AIRBORNE disse...

outro dia mesmo um amigo meu me contou um caso dele num médico que o atendeu super mal quando ele levou seu namorado junto pra fazer consulta... e que chutou o pau da barraca e disse que não voltaria mais e fez uma reclamação no convênio...

eu felizmente em todos os médicos que eu fui nunca sofri esse tipo de coisas, eles sempre foram muito profissionais e até se demonstraram muito tranquilos pra conversar e tirar algumas dúvidas...

mas sempre terão maus profissionais em todas as áreas...

beijos, querido!

joão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joão disse...

A questão principal não é o fato de alguns médicos desrespeitarem seus pacientes gays. Isso também acontecer com outros profissionais. Advogados, professores, vendedores podem ser tão homofóbicos quanto. Infelizmente quando se fala de sexualidade mesmo décadas a mais de estudo não são suficientes para esconder a homofobia que cerca a sociedade em que vivemos, da qual os médicos taméem fazem parte. Boa parte dos pacientes também observam de forma discriminatória os médicos que são sabidamente homossexuais, desconsiderando sua capacidade profissional- que é o que interessa. Quem lida com a saúde de alguém, o bem maior de um ser vivo deve exercer sua profissão de forma assexuada. Um médico que assedia uma paciente é tão criminoso quanto um que discrimina um gay.

Seus textos são ótimos!
Um abraço!!!

Guy Franco disse...

Não sei se sou eu que preciso tomar cuidado, num caso desses, ou o médico. Um sujeito assim também corre sérios riscos ao bom funcionamento das partes inferiores se me tiver como seu paciente. Homofobia não faz bem à saúde.

Bat Biscate disse...

minha opiniao: temos otimas faculdades no brasil que formam otimos proficionais, mais poucas delas enscinam as pessoas a lidarem com o publico, tenho certeza que o ginecologista nao saberia o que fazer se pegasse uma paciente muculmana por exemplo, pq nao esta preparado para lidar com situacoes diferentes.

Eu vejo uma coisa muito legal aqui em Londres, a policia e' altamente treinada e sabe lidar com gays, muculmanos, coreanos, indianos da mesma forma, pq foram treinados para lidar com diferencas culturais e sexuais....isso deveria acontecer em qquer proficao, os medicos deveriam ser treinados a lidar com o publico de maneira proficional, independente de quem seja esse publico.

Rodrigo disse...

O pior é que eu já odeio hospitais e ainda por cima vou lá e não me atendem direito, é o fim.

Marcos Freitas disse...

No encontro que fui em ilha solteira, discutimos isso: A falta de preparo da área de saúda para tratar com os LGBTs. Foram criadas diretrizes que serão enviadas para o governos estadual de São Paulo, nela costa algumas ações que os municipios terão q tomar para se adequarem seus atendimentos aos LGBTs.

t.e.a.g.o. disse...

Que inocescia a minha...
nunca pensei que esse tipo de coisa acontecesse...

Pegante disse...

realmente pode ser uma chateação.... vc já tá indo ao médico para resolver (ou prevenir) algum problema. Aí chega lá e ainda tem que lidar com mais um???

Pra quem mora em SP, passo uma dica: tem um grupo de profissionais (médicos de várias especialidades, dentista, psicólogo, até advogado!) que se propõe a atender o público GLS.
não quer dizer que os profissionais sejam necessariamente G ou L, mas sim que estão preparados a lidar com as necessidades específicas do público GLS.
É só entrar no site desse urologista e procurar o link GUIA SP para achar os contatos:
http://www.clinicacz.com.br

Dama de Cinzas disse...

Assunto importante esse! Um amigo meu foi tão mal tratado por um médico que perder a cabeça e virou a mesa em cima do infeliz do médico...

Beijocas

רפאל Madeira disse...

Passei por isso foi muito foda, nunca fui tao humilhado na vida;

putz, sabe coisas sem necessidade que as pessoas fazem no mundo, fico até sem jeito de falar sobre o assunto.

=/


Feliz 2009

Anônimo disse...

Bacana o texto Vincenzo. Sou estudante de Medicina e entendo essa situação. A nossa formação acadêmica não faz muito para o desenvolvimento da relação médico-paciente. Mas educação e respeito nao se aprende so na faculdade,alias acabamos esquecendo um pouco isso. abraço. gostei do blog

Anônimo disse...

Então.. Gostei muito do blog. Acho que o Gonzaga tem a cabeça muito boa, e uma sensibilidade grande pra comentar sobre alguns fatos que passam despercebidos pela maioria.
Como médico, concordo com o Gonzaga que alguns médicos tratam mal os homossexuais. Mas no caso da colega ginecologista, ela deve ter sido muito infeliz em não explicar que alguns procedimentos são obrigatórios para pacientes do sexo feminino. Na minha época do estágio de ginecologia, por várias vezes tive que pedir teste de gravidez à meninas de 14 anos que se diziam virgens, mas enfim, é o protocolo, tinha que fazer. Não é por desconfiar do paciente, mas sim por regra. Em ginecologia, até que se prove o contrário(pelo exame) toda paciente está grávida.
Fica a dica de que às vezes não foi por preconceito ou por desconfiar da paciente lésbica, mas sim para poder dar uma assistência melhor.
Grande abraço.

douglasfert disse...

Dizer o que sobre isto?

O preconceito, a ignorÂncia e a falta de respeito com o ser humano é algo que um diploma não consegue afastar.
Não é pq a pessoa é médica, advogada, arquiteta... que tem a mente mais aberta.
Mas no caso dos médicos a questão é ainda um pouco mais delicada. Temos realmente que exigir os nossos direitos.
Quantos mais isso fizerem, menos nos tratarão como inferiores;

P.S: o relato da lésbica grávida realmente é, no mínimo, hilário.

Anônimo disse...

Bom gente

nessa hora não se deve ter bom humor não,porque estamos lidando com a nossa saúde e com os nosso direitos humanos - sim gays também são humanos!
O que acontece é que o preconceito contra homossexuais é muito grande dentre os médicos. Ao passo que, dentro das faculdades de medicina, os alunos que se declaram gays são discriminados pelos colegas - inclusive os gays - e são rechaçados pelos professores com pequenas represálias, notas baixas sem motivo, reprovações, com critérios subjetivos de avaliação, negativas em projetos de pesquisa, estágios, residências e etc... Sem contar que, s eo médico admitir que é gay, ele simplesmente não consegue emprego em lugar nenhum. A grande maioria dos médicos gays, desfila com alguma mulher nas festas e eventos d emédicos para que ser aceito na sociedade. Muitos casam, t~em filhos e mantém uma vida dupla para que possam exercer sua profissão e serem felizes -????!!!!- outros, resolvem enfrentar o mundo e ser discriminados por quer que andem.
Mas, o que mais me revolta é saber o que os professores heterossexuais fazem nas faculdades de medicina. Para vocês terem idéia, homossexualidade é FATOR DE RISCO para quase todas as piores doenças da face da Terra, quando eu questionava o professor do pq, eles sempre diziam que era por causa da promiscuidade. Ser gay é sinônimo de promiscuidade? Todo gay é promíscuo? E o que me dizem daqueles professores velhos das faculdades de medicina, que eram casados, tinham filhos e transavam com várias alunas novinhas? Ah, desculpa, eles eram garanhões, promíscuos são os gays!
O que dizem daquele pai de família, casado, com filhos, temente à Deus, que tem uma amante, duas três, ou vai pra puteiro, enquanto mente que está no trabalho, futebol, pescaria, churrasco e etc..., ou sai pra procurar sexo com prostitutas por aí? Hum, eles são homens, né! Machos, mas, são homens, gays é que são promíscuos!
Quando um gau chega num hospital ele vira atração turística, toda a equipe do hospital divulga que tem um veado lá, se for travesti então... coitada, porque o tamnho do pinto dela será divulgado em todas as unidades...
Quando tu dizes para um médico que és gay, a primeira coisa que ele faz é pedir um anti-HIV, HCV, HBV, LUES e etc..., depois pergunta como estás e te trata com muita frieza.
Mas, o que me revoltava eram os comentários nos QGs, os deboches dos médicos velhos que passavam aos novos, as maneiras xulas de se referirem aos gays, de tratá-los como ninfomaníacos promíscuos que não se deve dar muita atenção...
Isso é revoltante, vocês não fazem idéia do que rola do outro lado ...
Em primeiro lugar, você está pagando por aquilo ali, se não for particular, o SUS está cobrindo tudo, por mais que os médicos digam que não, o SUS paga tudo e tu és um ser humano que tem direitos. Infelizmente, ninguém faz valer seus direitos frente aos médicos, pois nesse país médico nunca vai pra cadeia, nunca é acusado de erro médico, pois sempre é julgado e absolvido pelos próprios colegas.
Por ser gay e assumido, perdi vários empregos. No último, a psicóloga do recrutamento disse para o diretor do hospital que eu não podia ser contratado porque eu era gay, porém, ela não contava que eu estav na frente dele e com o viva voz ligado. Fui admitido na mesma hora, pois como disse o diretor do hostpital: ELE É LOUCO? NÃO? Então não me interessa oq eu ele é, só me interessa que ele tenha competência para o cargo.
Durante todo o tempo em que trabalhei lá, fui atração turística e motivo de debches pelos cantos, obviamente que não era enfrentado, pois exercia cargo de chefia e tinha poder para tanto...
Mesmo assim, sofria preconceito, certas coisas não chegavam ás minhas mãos, certos funcionários se negavam a prestar serviços pra mim e etc...
Nessas situações, só nos resta fazer valer o nosso conhecimento e capacidade profissional que, se não for acima de acima da média, certamente sofreremos mais ainda.
Se vale alguma dica: estude muito, muito mais do que qualquer um, seja sempre acima da média, pois esta é a única forma de obrigar as pessoas a te engolirem.

Mauricinho disse...

Olá me chamo Maurício sou fã de médico gotaria de conhecer um desses se quizer me conhecer meu msn é mauricinho012009@hotmail.com

Anônimo disse...

Cuidado que ignorâcia mata! Creio que as pessoas não deveriam fazer comentários do que não sabem, senão vira PREconceito... o "exame de gravidez" (b HCG) por incrível que pareça, não é realizado apenas para quem poderá estar grávida! Até homens podem dosar esse hormônio e com certeza a médica deve ter tido motivo para solicitá-lo!