terça-feira, 21 de abril de 2009

OLHARES SE CRUZAM E NADA DE BEIJO: TIMIDEZ OU ANTIPATIA


Por muitas vezes, quando vou para balada, fico notando que as pessoas se olham com interesse, querem beijar...porém nada acontece.
O que está havendo?
Quando fui pela primeira vez em um lugar gay vi muitos casais se beijarem. Como eu estava casado na época eu beijava somente meu ex, mas meus amigos sempre beijavam alguém.
Depois de 12 anos assumido vejo meus amigos (tanto os que conheci na época, quanto os novos amigos) em busca de alguém nas baladas...querem casar...ter uma namoro estável...quem sabe uma família, mas infelizmente saem sozinhos e muitas vezes tristes.
Passam a noite inteira “encarando” outros homens...os olhares são recíprocos, no entanto ninguém toma a iniciativa!
Ontem fui conhecer uma balada aqui em São Paulo com meu colega de apartamento e prestei atenção nos demais gays que se olhavam. Confesso que ri muito, principalmente por dois gays que se olharam quase a noite inteira e naaaaaaaaaada de beijo. Eu mesmo estava agoniado com a situação.
Um ia ao banheiro...o outro ia atrás...um ia comprar cerveja ...o outro ia atrás e comprava uma cerveja também...se olhavam, sorriam, dançavam olhando um para o outro...pareciam um casal de pavões gays mostrando suas penas bonitas antes de “cruzarem”.
Ao final da noite, um dos pavões chamou o outro e pediu o telefone...disse que tinha que ir embora e ficou interessado nele. O outro pavão disse que também ficou interessado e ditou o número de seu telefone e foram embora...separados.
Por um lado achei bonitinho este tipo de “cortejo”, mas sendo prático e realista: bem que um beijinho poderia ter acontecido neste momento final.
Enquanto eu acompanhava este ritual de pavões notei que um rapaz também me olhava, porém eu estava mais interessado em saber o desfecho do tímido casal e não dei atenção ao rapaz que me olhava.
Este deve ter acreditado que eu sou o homem mais antipático do mundo, pois eu olhava rapidamente e desviava o olhar. Além de minha extrema timidez, eu estava curioso para saber o desfecho do casal do pavões.
Usando meu perfil como exemplo para este tema posso dizer que sou chamado muitas vezes de antipático, arrogante e que fico fazendo “carão”, porém quem me conhece sabe que quando o assunto é beijar pela primeira vez eu sou extremamente, mas EXTREMAMENTE tímido. Já perdi de conhecer muitos homens interessantes por este meu defeito, mas fazer o que, pensei quem um dia eu iria mudar...mas não...continuo tímido quando se trata em conhecer outro homem.
Sempre preferi bares a baladas, pois, além desta minha timidez, eu não sei dançar. Ontem mesmo arrisquei mover um pouco meus pés e um infeliz rapaz vem em minha direção e pergunta se estou bem, pois pelo meu jeito de dançar ele achou que eu estava bêbado!!! Eu tenho a nítida noção que sou um péssimo dançarino, entretanto acho que ontem eu deveria estar horrível mesmo, pois nunca haviam comentado nada. Educadamente agradeci o interesse do rapaz em saber sobre meu estado, expliquei a ele que não sabia dançar e encostei-me no balcão do bar até o fim da noite, local de onde eu nunca deveria ter me afastado.
Acho que depois dessa não danço nunca mais e voltarei a freqüentar os bares que tanto amo.
Então pergunto: TÍMIDO OU ANTIPÁTICO?
Quando tiverem interesse em alguém vá até ele e tente conversar (desde que não você não seja tímido como eu). Seus amigos podem ficar dizendo que o rapaz que você está interessado é antipático, mas ele pode ser apenas tímido, assim como eu!

por VINCENZO GONZAGA

25 comentários:

Pronto Falei disse...

Acho que nas baladas a maioria do povo vai para se mostrar, e muito raramente as pessoas saem com a intenção de realmente conhecer alguém, pode reparar, dê uma volta num dia frio, todos os bombadinhos saem de regata para mostrar os músculos trabalhados, é claro que todo mundo precisa cuidar do corpo e da cabeça também, ninguem quer uma pessoa "caida" mais o principal é ter assunto, afinal num relacionamento, sexo é a menor
parte do tempo que passamos juntos, e quanto a timidez... bom vc tem que trabalhar isso, pq as outras pessoas tb podem ser tímidas... dar a cara a tapa as vezes é bom viu.

douglasfert disse...

Creio que existam muito mais fatores decisivos para as frustrantes noites que você relata.

Primeiro o fato de seus amigos estarem procurando algo mais 'sério' na noite. Não que eles não encontraram o próximo namorido na balada, mais a chance de isto acontecer, enquanto eles saem para procurar algo do gênero é muito pequena.
Acho que encontrar alguém estável é consequencia da noite, não podendo ser encarado como objetivo. Afinal, as chances de fracasso são muitas e a sensação de depressão no pós-balada, GRANDE.

Outro fator que deve ser acrescentados na "teoria dos olhares" é a espera. No mundinho hétero, é muito mais comum o homem ser quase que obrigado a 'chegar' para conseguir algo (apesar de, nos últimos anos, as mulheres estarem atacando também). Já no universo gay, quem deve tomar esta atitude primeiro?
Este impasse parece ilógico mas, com certeza, é o que faz muita gente não sair acompanhado de uma noite bacana, que poderia ser incrível.

E para finalizar o meu acréscimo de argumentos, cito a internet.
Em um mundo onde todo mundo cada vez mais tecla, telefona, conversa por msn, chat, twitter e afins.... A dificuldade de uma aproximação pessoal se dificulta.
Veja o exemplo do casal pavão citado no post. Eles se olharem, se interessaram, mas preferiram ter um primeiro contato assim mais 'íntimo' por um meio eletrônico (no caso, o telefone).
Não dá para julgar este tipo de atitude. Mas ela deve ser observada como um dos mais novos hábitos do mundo moderno, não deixando escapar nem o momento da "caça".


Bem, acho que fui um pouco extenso em meu post, não?rs. Talvez até um pouco inoportuno (querendo aumentar suas observações sobre olhares sem beijos).

Mas para finalizar este comentário, gostaria de te convidar para passar no Pride Brasil, que está tendo hoje seu lançamento oficial.


Abraços;

http://pridebrazil.blogspot.com/

Dama de Cinzas disse...

Acho que vc tem muita razão no que diz, mas é aquilo, se alguém não toma a inciativa tome vc... rs

Eu sou mulher, mas chegou nos caras sem o menor problema e tomo a inciativa do beijo, porque depois que vai o primeiro é igual empurrar carro na ladeira... rsrs

Beijicas

Surviver disse...

HAHAHAHA
me identifico muito com essa sua dificuldade para dançar! ahahahaha
eu tambem nao faço a minima ideia de como se dança...ri demais agora
mas é ne, tambem sou timido, fico so encarando e parti pra cima que é bom nada =(
mas sei la...vai que o cara nao é gay....me deixa muito inseguro isso, em locais GLS ai é mais de boa, mas mesmo assim so meio timido

Abraçaoo

Marlon Vila Nova disse...

Parece que fui quem escreveu esse texto.
Simplesmente me identifiquei com cada palavra.
Eu tbm sou extremamente tímido para esse contato inicial, e frequentemente sou confundido com "o antipático".
A propósito, adorei seu blog.

Alice disse...

A maioria dos amigos reclama disso, que são tímidos e não conseguem chegar nos caras. Acho que isso é universal, afinal! :)

Mabe disse...

Lindo, te entendo...tb passo por isso.
Seu texto meio que casou com o meu....hehe.
Manda notícias...saudades tua.

Beijos meu gato.

Demian disse...

Como eu sempre repito: "Há mais coisas entre o céu e a Terra do que sonha nossa vã filosofia"!

Bjaum, moço tímido!

Klero disse...

sou contra a ditadura anti-carão porque, justamente, nunca se sabe o que está na cabeça da pessoa
é um preconceito de pessoas que se julgam abertas e liberais...

mas solte esse corpo, dance mais, flerte mais, enfrente a timidez
vc tem muito a ganhar =)

Rodrigo disse...

Até nas baladas gays é assim? Eu costumo ir só em balada hétero, e lá também acontece esses olhares e mais nada. Mas em balada hétero é mais difícil, não dá para ficar cantando os caras na frente das outras pessoas. Em todo lugar tem um rapaz que fica te encarando, mas nunca passa disso, agora nos lugares gays não deveria ser assim, porque lá vc não tem que se preocupar com que os outros vão pensar.

Alan disse...

Identifiquei-me muito com seu post, pois tenho passado por esse tipo de situação também. Acho que agora faz sentido o pq da minha fama de antipático. ¬¬

Muito bom o seu blog! Voltarei mais vezes!

Willians disse...

Existe um clima de descontentamento pairando no ar, as pessoas procuram, procuram e procuram uma pessoa, a pessoa perfeita...

Ouvi alguém que me falava:

"Não passe a vida procurando por uma pessoa perfeita para você, seja você a pessoa perfeita para alguém".

Timidez, antipatia? Ainda fico com o meu conceito, ou pré-conceito... querem encontrar a perfeição. Difícil pra mim, pobre mortal, mas pra todo sapato velho existe uma boa e aconchegante meia furada, tudo é uma questão de se encaixar... nada melhor do que um beijo na balada pra começar.

Abraço.

Paulo disse...

Olha, entendo bem o q você disse. Apesar de toda minha cara de pau e de tudo q apronto, sou extremamente tímido para o primeiro contato! Depois q isso rola, aí tudo bem, a coisa anda! Mas até ele rolar... faço exatamente como vc falou, passo a noite inteira encarando, olhando, só esperando o outro chegar!

Ou, claro, espero a tequila e cerveja fazerem efeito primeiro para criar coragem...

Anônimo disse...

Oi, bom dia.
Adoreiiii seu ultimo poster. Dei muita risada e concordo plenamente com tudo o que voce disse, inclusive na parte da "Timidez", pois também sou bem parecido contigo. Apenas nunca deixo uma oportunidade passar. Antes, quando eu percebia que um homem estava interessado em me conhecer, ou apenas conversar, eu ficava meio assustado com "aquela" situação, e terminava fazendo o impossível para que ele não viesse perto de mim.
Hoje sou totalmente diferente, sou bem mais expressivo, e já mais deixo a oportunidade de conhecer um outro homem passar, mesmo que seja para uma futura amizade bem prospera.
E respondendo a sua pergunta, concordo que seja Timidez. Pelo fato de cada ser humano ser diferente um do outro, certamente, cada pessoa também tem seu perfil próprio, e por isso alguns são tímidos e terminam saindo prejudicado com isso.
Já que concordei com a Timidez, vou falar um pouquinho de como conseguir superar a minha. Superei todo esse meu "probleminha" depois que passei a trabalhar em um escritório de telefonia celular, onde todos os nossos clientes são empresários, depois de tanto convívio com essa estilo de clientes + todos os problemas que telefonia causam, terminei superando esse meu "Probleminha" e sendo um homem completamente diferente, e ctz mais feliz.
Se possível add no MSN.: kleyton_tatao@hotmail.com

Kleyton Hoffamann

Rodrigo Melquiades disse...

hsuahusha....
É exatamente como vc descreveu no texto...
Concordo plenamente contigo meu brother..
E vc é timido!?...hsuhausha
òtima noite queridoO..

ANDRÉ MANS disse...

hoje até o individualismo interfere nesse processo... é a geração do imediatismo, geração google... da preguiça falar, dá preguiça buscar, da preguiça se envolver... enfim, é isso. nem sempre é timidez, geralmente é egoísmo mesmo.

pronto, falei.

PH disse...

Eu sou tímido e odeio levar foras.
ODEIO, haha

Abraço

Guy Franco disse...

Me deram uma balada, uma vez, de aniversário, acho. Aconteceu mais ou menos isso mesmo. Havia muitos cretininhos. Cretininhos que não paravam de chegar. Dançavam, olhavam para você e, vez ou outra, levantavam as mãos porque determinado trecho da música era mais empolgante.

Darlan Silva disse...

Feliz eu por ter encontrado seu blog, simplesmente vc foi super feliz nesse texto, kra me identifiquei muito, no timido e na situaçao. E o seu questionamento é o meu questionamento, vc pode ter razao, ms se um dia vc descobrir oq realmente acontece me fala por favorrrrrrr! Pq eu sempre volto da balada com a horrivel sensaçao de q nem estive lá! Afffffff... Posso acompanhar seu blog?! Abraço

vagner vargas disse...

Gostei muito da forma como abordaste esse assunto. Quando eu era mais novo e solteiro, durante um bom tempo, eu saía pras festas e ficava a noite inteira olhando os caras, pois tinha medo de chegar neles e eles nunca chegavam em mim também. Eu tentava me divertir, mas acabava sempre voltando triste pra casa, pois minha timidez não me deixava ter cara de pau suficiente para ir lá e beijá-los dma vez. Porém, chegou uma época que eu resolvi chutar o balde e já entrava na festa beijando na boca de todo mundo - que eu queria - nem falava nada, beijava direto. Ficava com quase todo mundo na festa. Mas, não transava com ninguém. Nem sei o porquê...
Hoje em dia, o que eu vejo é que o pessoal sai atrás de sexo, apenas isso, como se fossem caçar para matar a fome. Alguns matam. Mas, depois vem aquele vazio de saberem que estão sozinhos, que não tem uma pessoa que os ame e que possa construir uma relação com eles. Obviamente, que estar casado com uma pessoa implica numa série de escolhas e de abdicações. Você pode optar por ser solteiro e viver nessa vida de caçador. Mas, porque quando se olha no espelho sente falta de ter um namorado, ou um companheiro como casal? Existem muitas idealizações nas pessoas que saem para as baladas. O seu objeto de desejo deve ser lindo, sarado, magro, sem rugas, com um cabelo maravilhoso, com uma roupa super cara, másculo,..., e muito bem estabelecido profissionalmente. Este fato faz com que, qualquer pessoa que não se enquadre em pelo menos um desses quesitos, sinta-se inferiorizada, deprima-se e não consiga perceber que nem todos a sua volta são assim e que, na verdade, alguém muito próximo, fora das idealizações, pode estar querendo lhe conhecer. Contudo, mesmo entre os perfeitinhos, por que eles ficam tão sozinhos? Por que também estão sempre á caça? Será que tamanha perfeição só aceita um espelho?
Naturalmente, com o passar dos anos, a vid anos faz compreender que a gravidade, a natureza e a idade afetam o corpo de todos os seres humanos e que as idealizações de juventude, refletem apenas àquela época. Entretanto, o que fica para depois? Quanto de vocês conhecem casais Gays que vivem juntos até à maturidade? Ou melhor, quantos gays acima dos 40 anos vocês sabem que estão casados?
Seriam os gays destinados à solidão?
O que os faz serem tão criteriosos na escolha do par perfeito e tão descartáveis ao lidarem com o sexo casual?

Deixo essas questões para futuros debates!
Abraço
Vagner

Wagner disse...

Conheci seu blog há pouco e gostei. Já pensei até em fazer um qualquer dia desses, mas no momento me contento em ler os dos outros. Parabéns pelos textos!
Um abraço!

Luck® disse...

Não é nada óbvio para resolver a questão, mas este embate: Carência x Resistência - talvez outros termos sejam mais amplos - é cada vez mais analisado por sociólogos, psicólogos.

Uma linha de argumentação afirma que cada vez mais somos cobrados por desempenho (um reflexo/ contaminação do mundo do Capital; da valorização da profissão) e, enfim, não podemos errar, não podemos fracassar. Temos de ser atraentes; Temos de...um monte de coisas!

Depois desse trabalho todo, cumprindo exigências veladas estabelecidas socialmente, onde tenho obrigação a cada dia de bater o recorde da auto-estima,a obrigação de ser feliz em todos os instantes, nada mais natural que o espaço para a realização diminua.

O humano comprou o produto enlatado de que há só um lado admissível de sua vida; Esquece-se que há de se passar pela dor, pela tristeza... O espectro de nossos sentimentos são amplos!

Não se trata, portanto de fazer qualquer apologia ao sofrimento, mas sim de reconhecer - pare de ignorar! - a sua completa capacidade de... sentir.

Esta prisão que a gente se coloca fica bem na sétima arte, no mundo das aparências (mímesis).

*

Eu sou extremamente, EXTREMAMENTE tímido, também. Tento trabalhar isso sempre. E mesmo que não dê tempo de me reformar, me cabe tentar pra sempre.

Como você postou seu perfil, respeitarei sua originalidade: sou o "antipático n.2", ok?

PS. Em outro comentário elogiei sua redação. Só depois li que você é escritor, oras! Não importa: você escreve bem à beça.

Bruno disse...

Fala cara... passando aqui pra divulgar um blog meu, que conta a história de 2 caras através de seus emails, orkut, msn, etc... tá bem legal, se puder ver (e divulgar, caso queira..)

http://caminhoscruzados.wordpress.com/

vagner vargas disse...

depois que postei aquele comentário anterior, me vi nessa situação....
Depois de 6 anos casado, me separei e fui numa balada. Me senti um peixe fora d´água, eu não sou como aquelas pessoas de comportamentos tão previsíveis, podemos estipular caracteres e ir classificando as pessoas na boite...heheheheehehehe talvez isso seja excesso de observação.
Mas, como aqui se fala em timidez, lá vem o meu registro, é brincadeira, mas por mais que eu queira, não consigo nem retribuir o olhar para o cara, fico com muita vergonha. Uma pessoa chegou a passar por mim e achar que eu era gringo de tão fechado que eu estava e ainda soltou a pérola:"Handsome but intouchble!"
Fala sério! Ser tímido é muito difícil! Qual a solução Vicenzo?
Abraço
Vagnervarg@hotmail.com

MarceloDCoerência disse...

O pessoal enrola d+!!!! Mesmo em locais voltados PARA SEXO há enrolação enorme! É carãozão (e ponha +superlativos) geral! Se não fosse do tipo "q parte p/ o ataque" quase sempre ficaria s/ ninguém. E qdo se conhece alguém a pessoa nem te conhece e já some logo. Parece q a "onda" é viver caçando, a caça não é o objetivo e sim SEMPRE caçando...
Obs.: fora as situações:
- rola mesmo somente no "dark-room"
- se não tem local v nada vale
- p/ outros até se não tem carro...