quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

EFEMINADOS: ODIADOS POR UNS, ADORADOS POR OUTROS.


Desde criança sempre escutei os heterossexuais falarem dos homens efeminados como nojentos, “ui que horror”, “um surra resolvia”, “bichona”, “viado” e etc.
Quando saí do closet continuei escutando a mesma coisa mas dessa vez dentro da comunidade gay.
O QUE TEM DE ERRADO EM SER EFEMINADO??? Não entendo este preconceito rídiculo!!!
O gay efeminado nada mais é que o extremo da orientação sexual homossexual, assim como o “bad boy” é o extremo da orientação sexual heterossexual.
Ser gay demais, ou ser machão demais é parte da personalidade de cada um e desde que seja uma pessoa honesta e correta não há problema algum nisso.
Há muitos gays “machões” que não valem um ovo podre, mas por não possuirem trejeitos femininos se vangloriam como sendo parte da nata dos homossexuais. Absurdo isso, pois para que os “bad gays” saibam, os mais brilhantes gays do mundo eram ou são efeminados, como por exemplo: Truman Capote, Elton John, Rei Muanga II de Uganda e etc.
Falando a verdade, há muitos gays que gostam de gays bem efeminados, no entanto não tem coragem de admitir esta preferência por medo de represálias dos amigos.
Certa época eu estava interessado em um rapaz. Quando finalmente tive a chance de falar com ele levei delicadamente um “fora”. Ele me disse que eu não o atraia pois nao tinha jeito de gay, que eu “parecia um heterossexual”!!!Fiquei muito triste, pois além de inteligente ele era lindo de morrer. Tudo bem...mas dizer que não ter trejeitos femininos é fato exclusivo de heterossexuais é ignorância, pois conheço muitos heterossexuais que são mais femininos que suas namoradas e afirmo com todas as letras que realmente são heterossexuais.
Assim como eu nasci gay sem trejeitos femininos, tenho amigos que desde criança já eram efeminados, ou seja, assim como nascemos gays, nascemos gays efeminados ou não.
Vangloriar-se por andar como “machão”, falar com voz grossa, ou por “parecer um heteressexual” é falta de sabedoria.




O CARÁTER ESTÁ DENTRO DE NÓS, NÃO FORA!!!





por VINCENZO GONZAGA

24 comentários:

Hernan Fernandez disse...

Vincenzo cada dia mais o admiro, acho que é bem por ai mesmo. As pessoas esquecem de olhar quem realmente são. Por fora podemos parecer o que quisermos, eu sou bem tranquilo com relação a isso. Quando quero dar pinta eu dô, quando não quero não dô, mas não faço isso pela sociedade sei qual é o momento ou não para agir de tal forma.
Concordo plenamente que efeminados ou não todos tem o seu brilho e seu charme. Vamos viver nossa vida, porque se não sermos nós mesmos, ninguém viverá por nós!!!
beijos querido!
;)

Felipe Lucchesi disse...

Acho que falam essas coisas porque sempre associam o jeito feminino ao fato dele querer "ser mulher",o que não vem a ser verdade em todos os casos.Gays são homens que gostam de homens.Quando querem ser mulher...daí é outra história que você conta outro dia.

Dama de Cinzas disse...

Seus posts são MARAAAA!!! Sou sua fã... rs

Penso o mesmo que vc! E sei que no meio gay tem essa discriminação mesmo. No entanto os gays efeminados que conheci eram tão verdadeiros, tão gente boa que eu os adoro.

Lamento que exista essa discriminação. Entre as lésbicas que conheço a coisa funciona um pouco diferente, já que uma mulher pra ser masculinizada ela tem que ser "over". Interessante observar que mesmo se tratando da mesma situação gays e lésbicas tem "códigos" diferentes.

Nada mais a acrescentar... Texto perfeito...

Beijocas

Anônimo disse...

Bem gosto é gosto, mas eu não ligo, aliás, uma pinta básica tem o seu valor. Tive alguns namorados efeminados(que palavra ridícula) e achava um T o jeitinho deles.

Pegante disse...

concordo que ser ou não efeminado deve ser nato e independente da orientação sexual. conheço HTs que são efeminados, e são HT mesmo.
acho que grande parte da rejeição a efeminados no meio gay vem como resposta aos estereótipos de que TODO gay é efeminado e de que gays gostariam de ser mulheres. Infelizmente essa é a imagem predominante na mídia, programas de humor e na cabeça de muito HT.
Então, quem não é efeminado e nem quer ser mulher acaba procurando se dissociar o máximo possível dessa imagem.
E tem a questão do tesão. Cada um tem um seu. Acho que a maioria dos gays (eu incluso) quer alguém com características masculinas (mas lógico que há gostos diversos).
É o famoso bordão: se quisesse algo feminino, ficava com uma mulher de verdade.

Diego Brito quiron_ctba@hotmail.com disse...

Acho que o preconceito com os efeminados é só uma outra face do machismo, que considera o feminino inferior, e um homem afeminado, um absurdo. Apesar de não achar que seja algo imutável, não acho que possa ser mudado de forma consciente, nem q precise ser...rs
E se não fossem os efeminados, todos nós continuaríamos vivendo nossas vidinhas escondidos e não haveria visibilidade gay alguma!

pinguim disse...

Não tenho o menor preconceito acerca de gays efeminados; apenas não me despertam qualquer interesse sexual, pois aí eu gosto de pessoas, não digo machões, no sentido negativo do termo, mas viris; só esses me despertam desjos físicos.
Abraço.

Mabe disse...

Oi amigo...
Infelizmente preconceito é algo que existe em todas as esferas e classes da sociedade...
Resta-nos apenas, nós que não temos, dar o bom exemplo e torcer para que ele seja seguido.

Abraço.

ANDRÉ MANS disse...

tudo culpa do processo socio-histórico capitalista criada pela Igreja

estamos cheios de preconceitos
triste, mas verdade

bjo pra vc

AIRBORNE disse...

vince, vc é o cara!

adorei o post, às vezes as pessoas não se dão a chance de conhecer outras por causa de atitude, e acabam perdendo oportunidades...

viva a diversidade, né??

beijos, ótimo final de semana

Paulo disse...

Nada contra os efeminados, muito pelo contrário! Temos espaço para todos, gostos para todos também! Particularmente, confesso que não me atraem, assim como caras baixos, muito novos, etc... Mas pura questão de gosto, não preconceito!!

FOXX disse...

c tem noção q vc é uma pessoa rara por pensar assim né?

Black Angel disse...

Belo post... profundo e vejamos se finda-se pelo menos leitores esse discurso de efeminado e não-efeminado o fato é que somos gays...
Indiquei o blo para o selo Olha que Blog Maneiro

John Rômulo disse...

Primeiro temos que nos livrar de uma hipocrisia:o feio não é ser afeminado(adoro os feminados ,adoro mesmo),mas sim a imagem que muitos efeminados contruiram e não te como negar isso! a imagem do ser promiscuo,sexo,sexo,sexo,sexo,sexo e barracos! isso é uma verdade,não adianta negar!

Mas não existe coisa mais charmosa do que um gay efeminado,adoro aquela andar sem elegancia alguma e por isso mesmo tão fascinante!


VIVA E DEIXE VIVER

beeabusada disse...

cara
disse tudo

A pessoa tem que ser o que é.

Desde pequeno tive trejeitos femininos e sofri muito na escola
e aprendi a impor respeito.

Já briguei muito por me chamarem de bichinha na escola, eu batia msm nos meninos que faziam "brincadeiras' cmg

Hoje com 18 anos eu não me considero machão muito menos afetado.

muitofranca*
rsrs

bjuss

Leo disse...

Concordo totalmente!
Quem sou eu pra julgar os outros? Já não basta o que me julgam?
abs

Gustavo disse...

Adorei o texto.
E como dito, cada um é o que é e pronto acabou.

Afinal, quem somos nós para julga-los e achar os mesmos menos do que nós, porque sim exitem efeminados mais cabeças, mais humanos do que muito machão por ai.

Assino embaixo e Bjundá!

Rodrigo disse...

Tem muitos gays que se gabam de nao ter trejeitos como se esperassem um premio por causa disso. Quando eu era criança era um pouco efeminado, acho que mudei de tanta vergonha que eu tinha disso, acho que perdi um pouco da minha personalidade e espontaneidade por causa disso.

Crazy Bitch disse...

Olá! Deixei um meme pra você no meu blog! Abraço!

Jan disse...

Não conhecia seu blog, mas fiquei muito feliz com o que li, acho que a primeira luta é minimizar o preconceito dentro da prórpia comunidade gay.

Foi um prazer
Abraço

lola aronovich disse...

Concordo com Diego: o preconceito contra os efeminados é o preconceito contra as mulheres, pura e simples. É a misoginia na nossa sociedade, que condena tudo que é feminino. É chato que os gays, por serem discriminados, ainda assim sejam machistas em alguns casos. Quando se trata de achar mulheres seres inferiores, muitos gays parecem não ser diferentes dos héteros.

douglasfert disse...

O preconceito internalizado contra efeminados é tão repulsivo quanto a inferiorização dos passivos.
Ambos os casos me enojam e são comum associados entre toda uma sociedade ignorante, gay ou não.
Mas no caso nas comunidades gays é algo incabível. Um preconceito bobo, ignorante e nojento.



***
Conheci seu Blog hoje e já virei um fã dele!

Está impossível para de lê-lo aqui viu.. rs.

vagner vargas disse...

OI VICENZO

Existem certos conceitos que devemos atentar:
Quando falamos em um cara ser efeminado, afetado, mulherzinha e etc... estamos nos referindo ao gênero, o quel não está associado ao sexo, nem à sexualidade.
Gênero se refere ao masculino e ao feminino.
Sexo se refere à homem e mulher.
Sexualidade, bom essa tem várias..hehhehehe, mas vamso falar de homossexuais e heterossexuais para não deixar o povo mais confuso.
Estes três aspectos são dissociados, ou seja, um não determina o outro e são natos, nós nascemos assim, obviamente que somos influenciados pelo meio, mas isto, acredito eu, influenciará mais no nosso caráter do que nestes aspectos.
Um homem (sexo) pode ser heterossexual (sexualidade) e masculino (gênero). Mas, ele também pode ser homem (sexo), heterossexual (sexualidade) e feminino (gênero).
A mesma coisa com mulheres (sexo), podem ser heterossexuais (sexualidade) e femininas (gênero), assim como podem ser mulheres(sexo), heterossexuais (sexualidade) e masculinas(gênero)
Nada fará com que um homem heterossexual que seja feminino, ou um amulher heterossexual, que seja masculina, serem gays, ou seja, suas sexualidades estão dissociadas do seu gênero.
Da mesma forma, podemos ter um homem(sexo), homossexual (sexualidade) e masculino (gênero), ou um homem (sexo), homossexual (sexualidade) e feminino (gênero). Ambos são gays, ambos são homens, o que os difere é que um tem um comportamento mais masculino e ou outro mais feminino. O mesmo acontece com as lésbicas, é só seguir o mesmo raciocínio didático...ehhehehehe
O fato de um gay ser masculino não o torna melhor ou superior a um gay feminino. Na verdade, isto reflete o pensamento machista e retrógado que aind apersiste em nossa sociedade. Principalmente, quando alguém se refere a um gay passivo com desdém, sempre o associa com uma figura feminina inferior, como se o feminino fosse inferior. De forma contrária, quando um gay diz que é ativo, ele é praticamente aplaudido, por ser o machão, o comedor, o predador, todos o olham como se ele fosse mais importante que os outros. Infelizmente, em pleno século 21 as pessoas ainda matém este tipo de pensamento machista, preconceituoso católico-medieval, fazendo com que, mesmo entre os gays, a discriminação seja uma realidade evidente.
Acredito que a única maneira de minimizar isso, é cada vez mais esclarecendo à sociedade sobre as diferenças entre sexo, sexualidade e gênero e que a posição que cada um adota durante o ato sexual, não o torna melhor nem pior do que ninguém, Não me lembro de alguém ser apresentado a minha mãe e perguntar se ela fazia de lado, papai-mamãe, de quatro, frango assado, ponta cabeça, canguru perneta e etc..., por que sempre que conhecem um gay as pessoas fazem esse tipo de questionamento?
Resposta: para lhe colocarem um daqueles rótulos preconceituosos que só dificultam a cada dia a vida dos gays nessa sociedade hiócrita.
Para tanto, quando formos inqueridos sobre alguma dessas coisas, é só retribuir à pessoa a mesma pergunta: Como você faz? qual posição e etc... da mesma forma que o hetero em questão se sentirá constrangido, saberá como é ser sempre tratado com um objeto sexual pela sociedade.
Mas, voltando à questão de gênero, nós nascemos com uma sexualidade, um sexo e um gênero já definidos, podemos levar algum tempo para sabermos como lidar com eles, porém nada disso é motivo para nos envergonharmos ou vangloriarmos, são apenas nossas características naturais. Goste quem gostar, se não gostar, sempre há quem goste!
Bom, não entrei nas questões de como lidar com o sexo, gênero e sexualidade com o seu corpo, pois isso dá muito pano pra manga e acho que já deixei muita gente confusa com esse texto.

Ricardo disse...

Pensei muito sobre isso quando um cara com quem eu estava ficando me disse, com expressão de nojo, que não gostava de travestis. E o pior: mesmo sendo gay, mesmo sabendo o quanto são superficiais esses julgamentos baseados em aparências, mesmo sabendo que o caráter de alguém independe de sua sexualidade e, por fim, mesmo eu não sendo exatamente um machão, naquele momento, eu concordei. Só depois, pensando, eu reconsiderei o que disse. Fiquei incomodado com a ideia de nojo.
Não sinto atração por homens efeminados, mas há formas mais cuidadosas (para quem se importa em ser cuidadoso) de expressar isso do que dizer, explícita ou implicitamente: "Tenho nojo.".